Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Casa das Artes: Exposição Arrábida 50

 

 

 

A Casa das Artes, no Porto, acolhe uma seleção de fotografias pertencentes ao registo fotográfico do CPF sobre as Comemorações dos 50 anos da Ponte da Arrábida do fotógrafo António Alves Cerqueira que, entre 1957 e 1963, se dedicou por gosto pessoal pela fotografia a registar os trabalhos de construção da emblemática Ponte da Arrábida.

 

Entre 1957 e 1963, um ilustre desconhecido do Porto dedica-se, por sua iniciativa e gosto pessoal pela fotografia, a registar os trabalhos de construção da emblemática Ponte da Arrábida. Munido da sua câmara Billora Bella 66, António Alves Cerqueira (1939-08-31) é uma testemunha silenciosa e um observador anónimo de um momento único na história da cidade. Regista com particular interesse e dedicação a elevação do cimbre de 2100 toneladas, assim como perspetivas únicas de uma obra notável da engenharia projetada pelo Eng.º. Edgar Cardoso. O resultado do seu trabalho permanece por muito tempo desconhecido até que em 2011 o autor doa ao CPF um invulgar conjunto de imagens do qual faz parte esta seleção que agora se apresenta na Casa das Artes, depois de uma primeira apresentação, em 2013, no Centro Português de Fotografia.

 

António Alves Cerqueira nasceu no Porto, na freguesia de Miragaia, em 1939. Iniciou o seu percurso profissional como operário da firma Nopal, que se dedicava ao comércio de produtos de papelaria, empresa onde viria, mais tarde, a desempenhar as funções de vendedor. Paralelamente, e uma vez que sempre se interessou por fotografia, trabalhou como profissional freelancer, não deixando de a incluir igualmente nos seus tempos livres enquanto hobbie. Assim, e a partir de 1950, fotografou casamentos, batizados e comunhões e realizou, por sua iniciativa, trabalhos de cariz mais artístico através de registos fotográficos de aspetos da cidade do Porto. Por motivos pessoais viria a abandonar a prática em 1968 / 1969. Mais tarde, terá tomado a decisão de eliminar todos os documentos fotográficos resultantes do seu trabalho comercial, maioritariamente composto por retratos, bem como reportagens fotográficas feitas em circunstâncias específicas, designadamente comemorações de âmbito familiar.

 

A exposição estará patente na Casa das Artes, no Porto, entre 7 de novembro e 3 de janeiro de 2016. Entrada livre.