Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Castelo de Guimarães recebe 2 visitantes por minuto

Durante o mês de julho, o primeiro mês de fruição por parte do público após a reabertura da Torre de Menagem, o Castelo de Guimarães recebeu um total de 29.616 visitantes.

 

Depois de instalado o novo sistema de bilhética, julho foi, igualmente, o primeiro mês de cobrança de bilhete de entrada naquele Monumento Nacional, sendo agora possível contabilizar com maior precisão o número total de visitantes. Assim, constata-se que o Castelo de Guimarães recebeu uma média de 2 pessoas por minuto durante o último mês, número que deverá aumentar de forma significativa durante agosto, mês de elevada afluência de turistas nacionais e estrangeiros.

 

Com efeito, verifica-se que os turistas estrangeiros representam cerca de 61% do total de visitantes que afluem ao Castelo de Guimarães, o monumento mais visitado do Norte do País e que, só no primeiro trimestre de 2016, recebeu um total aproximado (por estimativa) de 82.200 visitantes.

 

O número de entradas registado durante o mês de julho confirma o fluxo de procura dos primeiros meses do ano, sendo expetável que, após o início do ano letivo, também o número de visitantes escolares possa aumentar consideravelmente, sobretudo tendo em conta o interesse motivado pela nova exposição «Do Condado ao Reino: Centro Interpretativo do Castelo de Guimarães», que está patente, desde 24 de junho, na Torre de Menagem.

 

Neste Centro Interpretativo é feito um enquadramento histórico do Condado Portucalense e a sua posterior autonomia política, que levou à formação do Reino de Portugal; apresenta-se a origem do Castelo, a sua evolução construtiva e os principais eventos militares que ocorreram no seu entorno; e desvenda-se a história de D. Afonso Henriques e a sua imagem ao longo dos tempos.

 

A intervenção concretizada no Castelo de Guimarães, pela Direção Regional de Cultura do Norte, representou um investimento global de cerca de 430.000,00€ e teve por objetivo dotar o monumento nacional de melhores condições de acessibilidade e segurança por parte dos milhares de visitantes que todos os anos procuram o emblemático Castelo.

 

A intervenção global foi financiada pelo QREN, no âmbito do ON.2 – O Novo Norte, contando com o Mecenato Exclusivo da Fundação Millennium bcp.