Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

CDMG | Visitas, conversas, oficinas e a inauguração da exposição "Pergunta ao Tempo" preenchem a programação de junho da Casa da Memória

image001.jpg

 

Visitas, conversas, oficinas e a inauguração da exposição “Pergunta ao Tempo” preenchem a programação de junho da Casa da Memória

 

Em junho, além da programação regular que se faz de várias visitas, conversas e oficinas, a Casa da Memória inaugura a exposição “Pergunta ao Tempo” que resulta de um longo processo de reapropriação do património cultural pelas mãos das crianças de turmas do 4º ano de 13 agrupamentos escolares do concelho de Guimarães. O “Guia de Visita” deste mês está a cargo de Carlos Mesquita e o “Espalha Memórias” conta com Eduardo Brito e Raul Pereira como guias convidados. O ciclo de conversas “Memórias da Memória” propõe um encontro com Daniel Blaufuks e o “Domingos em Casa” proporciona mais uma manhã de convívio em família. Ao longo do mês, recordamos ainda que é possível visitar a exposição temporária “Memento (Lembra-te)” e a exposição permanente “Território e Comunidade”.

 

Em junho, o “Guia de Visita” – atividade que a Casa da Memória organiza no primeiro sábado de cada mês – terá como convidado Carlos Mesquita, cineclubista, cinéfilo, fotógrafo amador e exímio contador de histórias de Guimarães. A partir de aproximações mais ou menos diretas a documentos, imagens e elementos da exposição da CDMG, o Presidente do Cineclube de Guimares,﷽﷽﷽﷽﷽﷽﷽çaes, Cineclube de Guimar? Confirma.hem?tografia pode nnça da luz no cunho das imagens ães propõe-nos uma visita guiada pela sua própria memória de Guimarães. O “Guia de Visita” acontece já no próximo dia 03 de junho, às 17h00.

 

No dia 09 tem lugar a inauguração da exposição “Pergunta ao Tempo”, um projeto que resulta de um longo processo de reapropriação do património cultural pelas mãos das crianças de turmas do 4º ano de 13 agrupamentos escolares do concelho de Guimarães. Dentro da própria exposição permanente da Casa da Memória, os objetos, as histórias, os testemunhos recolhidos pelas crianças coabitam e dialogam com cada um dos núcleos expositivos. O património cultural, na sua materialidade e imaterialidade, a reflexão sobre a memória e as formas como a representamos, recolhemos e tratamos, envolveram todas as crianças, as suas famílias e a comunidade local. A Casa da Memória surge, assim, como lugar de abrigo e de encontro da comunidade consigo própria. A exposição “Pergunta ao Tempo” ficará patente até dia 01 de outubro.

 

No dia 10, às 10h30, o programa de visitas orientadas “Espalha Memórias” está de regresso com Eduardo Brito sob o mote “Entre Imagens da Cidade”. A partir de uma seleção de imagens da Coleção de Fotografia da Muralha faz-se uma deriva pela memória da cidade através da memória das fotografias: histórias, imaginações, incertezas, comparações e desaparições fazem parte de um regresso ao local do enquadramento de algumas das mais simbólicas fotografias de Guimarães. No dia 24, à mesma hora, o Espalha Memórias terá Raul Pereira como guia convidado, numa alusão a Guimarães e ao Dia 1 de Portugal. Num dia carregado de simbolismo, conversa-se sobre uma cidade que não é só o que dela hoje admiramos, mas também aquilo que ela poderia ter sido. Recordamos que o “Espalha Memórias” é um programa de visitas a partir da Casa da Memória, onde os participantes são convidados a conhecer e descobrir diferentes percursos da cidade.

 

Junho reserva, ainda, uma nova edição do ciclo de conversas “Memórias da Memória”. No dia 17, às 17h00, o fotógrafo e cineasta Daniel Blaufuks é o convidado de uma conversa que terá como eixo a importância das imagens e das relações que as mesmas propõem, as múltiplas refrações do que lembramos e de como lembramos – do facto histórico ao registo pessoal, da literatura ao cinema, do arquivo à destruição.

 

No dia 18, às 11h00 – como é habitual no penúltimo domingo de cada mês – a Casa da Memória proporciona mais uma manhã de convívio em família. Em junho, o Domingos em Casa propõe uma oficina de construção de fanzines que irá reinterpretar momentos da memória relacionada com lugares da cidade de Guimarães.

 

Ao longo do mês, para além da exposição permanente da Casa da Memória, recordamos que poderá ainda visitar a exposição temporária “Memento (Lembra-te)” que reúne um conjunto de objetos e imagens provenientes de coleções particulares, onde se propõe recuar às primeiras décadas do século XX em Guimarães – a um tempo em que o mundo de trabalho estava em profunda transformação e o papel reivindicativo do operariado, embora timidamente, já se fazia sentir.

 

A Casa da Memória encontra-se aberta de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 19h00. Aos domingos de manhã, a entrada é gratuita. A programação da CDMG pode ser consultada em www.casadamemoria.pt.