Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Ciclo de Eventos «Dias do Património a Norte» arranca em Arouca

DIAS DO PATRIMÓNIO A NORTE DÁ “NOVA” VIDA

A OITO MONUMENTOS NACIONAIS

Ministro da Cultura em Arouca para o 1º evento do Ciclo

image008.jpg

 

O Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, estará em Arouca, no próximo dia 21 de abril, para participar na abertura oficial do Ciclo «Dias do Património a Norte», iniciativa promovida pela Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN), em parceria com vários municípios da região Norte, sendo cofinanciada pelo Programa Norte 2020, através do FEDER.

Arouca, Tarouca, Miranda do Douro, Vila Real, Barcelos, Bragança, Mogadouro e Alfândega da Fé são as localidades que, entre abril e setembro, vão acolher o ciclo de eventos integrados na Operação «Dias do Património a Norte».

Em Ano Europeu do Património Cultural, a DRCN aposta na descentralização e na oferta cultural disseminada pelo território, apresentando um projeto de turismo cultural inovador, agregador e atrativo, que utiliza como instrumentos fundamentais a programação cultural, o trabalho de mediação com as comunidades e a comunicação ao serviço da qualificação da experiência turística e da competitividade da economia regional.

O primeiro evento desta programação em rede vai decorrer nos dias 20 e 21 de abril, no Mosteiro Santa Maria de Arouca, no distrito de Aveiro, com o apoio da Câmara Municipal de Arouca. Durante dois dias, as portadas do Mosteiro abrem-se para receber atividades para todas as idades, onde se incluem visitas-jogo pelo monumento, showcooking de Vitela Arouquesa, conversas sobre património e redes do saber e concertos para diferentes públicos. O programa inicia-se na sexta-feira, dia 20, com uma visita-jogo pelo Mosteiro, sobre a Lenda da Rainha Santa Mafalda, exclusivamente reservada às escolas da região, seguindo-se no sábado o ponto alto deste evento, de entrada livre.

 

Das rimas de Capicua e Pedro Geraldes ao showcooking de vitela Arouquesa do Chef Marco Gomes

Celebrar o património português, viajar entre o passado e o presente enquanto se redescobrem os modos de vida dos que já habitaram o Mosteiro, os sabores típicos e as tradições da região é a proposta da Direção Regional de Cultura do Norte para quem visitar o Mosteiro de Arouca neste fim de semana.

No sábado, a partir das 11h30, o programa é aberto ao público e começa com uma visita guiada, conduzida por membros da comunidade, que se propõem dar a conhecer mais sobre os modos de vida dos mosteiros femininos. Contar a história deste local não apenas através de factos escritos e estudados, mas através de vivências da população que com ele privou ou os modos de vida de quem por ali passou é o objetivo desta visita que, pela riqueza dos pormenores e das estórias ali passadas, proporcionará uma experiência única aos participantes.

Às 14h30, na Sala Capítulo, realiza-se uma conversa sobre “O Património e Redes do saber”, onde se falará sobre as instituições monásticas enquanto primeira experiência de redes do saber. Segue-se às 17 horas, o concerto temático Mão Verde, com Capicua e Pedro Geraldes, um espetáculo para famílias que gira à volta das plantas, da agricultura, da alimentação, dos cheiros das ervas aromáticas e da cor das flores. Através de rimas, histórias, rap e jogos de palavras, Capicua e Pedro Geraldes, com a ajuda do público, constroem um concerto com uma motivação ecologista que proporcionará momentos de grande animação e aprendizagem.

Com a presença do prestigiado Chef nacional Marco Gomes, os visitantes são convidados a assistir, a partir das 17h30, à confeção, à moda antiga, da famosa vitela arouquesa, que decorre na cozinha do Mosteiro. Assada na brasa, como manda a tradição, a vitela arouquesa será pendurada no interior da chaminé da cozinha, onde o Chef Marco Gomes celebrará a herança das Monjas do Mosteiro de Arouca, avivando brasas e memórias.

O fim de tarde será animado por um concerto com grupos da comunidade, na escadaria da Ala Sul do Mosteiro. Agendado para as 19 horas, o espetáculo resulta de uma criação com as comunidades de Arouca e que tem como ponto de partida a polifonia vocal da região. Dirigido pelos artistas António Serginho e Sara Yasmine, o concerto convida a viver uma experiência única e irrepetível, onde a música e a cultura da região assumem protagonismo. Participam nesta criação ranchos folclóricos, grupos etnográficos e associações culturais da região, entre outras instituições.

O evento da Direção Regional da Cultura do Norte em Arouca termina com chave de ouro no Cadeiral da Igreja do Mosteiro, onde se realiza, às 21h45, o concerto “Rua da Lua”, que combina a portugalidade das canções com uma sonoridade contemporânea que viaja à raiz da música portuguesa. Constituído por Carlos Lopes, Tiago Oliveira, Manú Teixeira, Rui Silva e Tatiana Pinto, o projeto musical “Rua da Lua” leva até Arouca o som do acordeão, da guitarra clássica, do contrabaixo e da percussão, que suportando uma voz limpa e visceral, proporcionará uma viagem única pela cultura portuguesa e pela sua tradição musical, agora reinventada e difundida por todas as gerações.

«Dias do Património a Norte» prossegue nos meses seguintes, com uma programação própria e diferenciada, adaptada a cada localidade. O Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, em Tarouca, (18 e 19 de maio), a Catedral de Miranda do Douro (1 e 2 de junho), a Sé de Vila Real (15 e 16 de junho), o Convento de Vilar de Frades, em Barcelos, (13 e 14 de julho), a Basílica de Santo Cristo do Outeiro, em Bragança, (27 e 28 de julho), o Castelo de Mogadouro (10 e 11 de Agosto) e, por fim, a Igreja Matriz de Sambade, em Alfândega da Fé, (28 e 29 de setembro) são os próximos palcos culturais a homenagear o património, a tradição e a cultura das comunidades.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.