Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Companhia Elefante Elegante (Espanha) traz teatro infantil “Cubo” a Palmela

 

Cubo.jpg

A Companhia Elefante Elegante (Espanha) vai estar no Cine-Teatro S. João, em Palmela, a 2 de junho, às 17h00, para apresentar o espetáculo de teatro “Cubo”, integrado na 29.ª SEMENTES - Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público.

O espetáculo, para maiores de 5 anos e com 60 minutos de duração, evoca a amizade, as separações, a necessidade de conhecimento e a aventura de crescer a partir da igualdade, rompendo os arquétipos de género.

“Cubo” é organizado pela Câmara Municipal de Palmela e tem entrada gratuita, mediante levantamento de bilhete. Mais informações: 212 336 630 ou cultura@cm-palmela.pt.

Promovida pelo Teatro Extremo, de Almada, a SEMENTES é uma mostra internacional de artes dedicada à infância, juventude e público familiar, tendo como auge a comemoração do Dia Mundial da Criança (1 de junho), que privilegia o teatro, mas apresenta também espetáculos de música, circo, dança, marionetas e artes de rua, nacionais e estrangeiros, muitos deles premiados internacionalmente. A programação decorre em Almada e também em equipamentos e espaços públicos dos municípios com os quais o Teatro Extremo trabalha em rede.

 

Sinopse

 

«Num misterioso cubo de madeira, dois personagens muito diferentes conseguem viver em harmonia. Ela é curiosa e determinada, ele é terno e vulnerável. Eles brincam, divertem-se e riem, mas um dia ela decide ir mais longe, quer viajar em busca de novas questões e descobrir o mundo inteiro. Ele fica feliz com suas respostas, sente-se confortável, seguro e nada mais deseja do que balançar eternamente no berço do seu cubo. Eles sempre conseguiram chegar a acordo, mas desta vez parece muito complicado. Que solução encontrarão?»

 

Ficha artística

 

Criação: Gonçalo Guerreiro

Texto: Tiago Alves Costa

Direção artística e interpretação: María Torres e Gonçalo Guerreiro

Direção de atrizes/atores: Pablo Sánchez

Cenografia: Gonçalo Guerreiro

Composição musical: Manuel Fonte e Miguel Paz

Iluminação: Nacho Martín

Figurinos, adereços e desenho gráfico: Carolina Díguele