Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Companhia Vidas de A a Z estreia em Junho EU SOU MEDITERRÂNEO

 

eu%20sou%20MEDITERRÂNEO%20CARTAZ.png

 

A Companhia Vidas de A a Z vai estrear em Junho a produção - EU SOU MEDITERRÂNEO. Um espectáculo sobre a banalidade do mal -, um espectáculo que irá colocar em confronto o princípio universal dos Direitos Humanos com as sociedades da violência, abordando questões como os atentados aos Direitos Humanos em contexto de conflitos armados, a ameaça do terrorismo, as grandes crises humanitárias, abordando, nomeadamente, as tragédias no mediterrâneo e os direitos de cidadania dos refugiados, entre outras temáticas. 

  

O espectáculo proposto é um espectáculo que tem como parceiros a ADDHU (Associação de Defesa dos Direitos Humanos), a Associação Gulliver, a Associação Solidariedade Imigrante, a Associação Amizade Portugal-Sahara Ocidental e o Turismo de Lisboa.

O espectáculo integrará a programação das Festas de Lisboa e irá estrear no Teatro Turim, sendo que depois seguirá para digressão nacional. Os locais de apresentação em Lisboa são:

2 a 12 de JUNHO (2016)

Teatro Turim Estr. de Benfica 723 2715-311 Benfica

12 a 15 de SETEMBRO(2016)

Boutique da Cultura (Carnide) Largo das Pimenteiras 6 1600-576 Lisboa

 

Sinopse: 

“Eu não pertenço a nenhuma das gerações revolucionárias. Eu pertenço a uma geração construtiva.” (Eça de Queirós)

Nós somos a voz dos ecos sociais e literários da realidade contemporânea. Nós somos canibais e eis a nossa dramaturgia canibalista. Nela jaz a cisão entre um Ocidente civilizado e um Islão bárbaro. Nela jaz a estatística da miséria. Nela jazem as crianças cuja vida é roubada na faixa de Gaza. Nela jaz a Fome, a Guerra, o Sofrimento e o Desespero. Nela jaz a ignorância generalizada em relação ao Islão. Nela jazem as Guerras do Médio Oriente que o Ocidente apoia militarmente e cujas mortes alicerçam a economia mundial. Nela jazem os atentados contra os Direitos Humanos e a chacina em massa de civis. Nela jaz a maior crise migratória e humanitária da Europa. Nela jazem as perseguições pelos taliban. Nela jaz o riso, a hipoteca da vida. Uma ficção, um facto e um manifesto artivista. Nós somos um não-lugar, fragmentos de culturas dissonantes. Eu sou o morto. Eu sou mediterrâneo. Um espectáculo sobre a banalidade do mal…

 

Ficha artística

PRODUÇÃO
Companhia VIDAS DE A a Z

TEXTO
Sílvia Raposo
Mónica Gomes

ENCENAÇÃO
Mónica Gomes


GUARDA-ROUPA E CENOGRAFIA
Mónica Gomes
Sílvia Raposo
Lena Raposo
 
ELENCO
Mónica Gomes
Sílvia Raposo
Margarida Camacho
Luís Correia

GRAFISMO
Sílvia Raposo