Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Crista Alfaiate abre e desvenda-nos a 'Niet Hebben - Carta Rejeitada' em Guimarães (16 janeiro, CCVF)

~00Criação de Crista Alfaiate é apresentada a 16 de janeiro no Grande Auditório
 do Centro Cultural Vila Flor

transferir (2).jpg

 

No próximo dia 16 de janeiro, sábado, às 19h00, o público do Centro Cultural Vila Flor vai poder conhecer a Niet Hebben - Carta Rejeitada, peça criada e interpretada por Crista Alfaiate, que partilha a autoria do texto com Diogo Bento, inspirando-se em cartas famosas como a do Achamento do Brasil, de Pero Vaz de Caminha, a de Kafka ao pai, a de Oscar Wilde a Bosie, as de Mariana Alcoforado ao seu apaixonado e muitas outras. No subtexto encontram-se temas como o feminismo, a guerra ou o pós-colonialismo, convivendo com um mundo abundantemente dominado pelas redes sociais.  

Em Niet Hebben - Carta Rejeitada encontramos em cena uma atriz algemada. Com as mãos presas, como uma criminosa. Ainda assim, disposta a escrever uma carta como quem fala. Enquanto fala. Acusada por si própria de vasculhar a correspondência alheia, reflete sobre o conteúdo de algumas cartas que leu – indevidamente, à socapa, em vez de estar a “anhar” no Instagram ou a tirar selfies.

Partindo de textos conhecidos como Carta do achamento do Brasil de Pero Vaz de Caminha, Carta ao pai de Kafka, Carta a Bosie de Oscar Wilde, Cartas portuguesas de Mariana Alcoforado e Novas cartas portuguesas de Maria Teresa Horta, Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, entre outras, esta carta fora do baralho pretende repensar alguns temas como o feminismo, a guerra e o pós-colonialismo num mundo onde o Facebook e o Twitter é que estão a dar cartas. Uma carta que tanto pode ser um discurso ou um e-mail, sem medo do passado e de olhos postos no futuro. Uma correspondência a ser trocada entre toda a família e para pessoas maiores de 12 anos de idade. 

Nesta interpretação multifacetada, Crista Alfaiate convida-nos a viajar no tempo, tendo o poder de fazer (sor)rir mesmo quando sofre, numa experiência visual e sonora que nos desperta os sentidos. Niet Hebben - Carta Rejeitada integra as propostas de programação do serviço de Educação e Mediação Cultural d’A Oficina apresentando-se a 16 de janeiro, às 19h00, perante o público geral e as famílias no Centro Cultural Vila Flor. Os bilhetes têm um custo de 2 euros e podem ser adquiridos nos locais habituais de venda de ingressos. 

Já este fim de semana, teremos também a oportunidade de participar na visita orientada e conversa ‘À Lupa’ com António Amorim e Luísa Abreu na Casa da Memória de Guimarães e fazer ‘O Caminho da Coleção’ com Rita Senra no Centro Internacional das Artes José de Guimarães. Em ‘À Lupa’, a 9 de janeiro, às 11h00, vamos aproximar os olhos e ver o pormenor das coisas que se passaram de mão em mão ou da boca para o ouvido. Neste mês de janeiro, convoca-se aqui o deus que lhe dá o nome, Janus, para pôr debaixo da lupa cultos, rituais e pormenores do quotidiano, revelando a linha ténue entre o paganismo e a herança cristã. O ‘Caminho da Coleção’ faz-se no domingo, 10 de janeiro, igualmente às 11h00, sendo este um momento nascido do ‘Lições Iluminadas’, um projeto que envolve crianças do 3.º ano de diferentes escolas de Guimarães, numa viagem de criação artística através da coleção do Centro Internacional das Artes José de Guimarães. Agora, abrem-se as portas para dar as boas-vindas à curiosidade de outras crianças e adultos. E entre conversas e desafios, vai percorrer-se o museu para ver além do que os olhos são capazes. Ambas as atividades deste fim de semana têm o preço de 2 euros, mediante inscrição prévia através do e-mail mediacaocultural@aoficina.pt ou do tlf. 253 424 716, sendo a lotação mínima de 3 e a máxima de 7 participantes, dirigida a maiores de 6 anos de idade.  

A programação cultural d’A Oficina para este e para os meses próximos encontra-se disponível para consulta em aoficina.pt, assim como os respetivos bilhetes para os espetáculos, que podem igualmente ser adquiridos presencialmente nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor (CCVF), Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), Casa da Memória de Guimarães (CDMG), Loja Oficina (LO) e ainda nas lojas Fnac, Worten e El Corte Inglés.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.