Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Da Chick e Xinobi visitam o CCVF para dois concertos onde todos dançam no palco (19 fevereiro)

Uma data, dois concertos, para levar o Centro Cultural Vila Flor ao rubro

 

Da Chick e Xinobi visitam o CCVF para dois concertos onde todos dançam no palco

image001 (2).jpg

Esta sexta-feira, dia 19 de fevereiro, às 22h00, o Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, apresenta uma dose dupla de concertos, em que o público é literalmente convidado a subir ao palco do Grande Auditório e dançar ao som destes filhos da conceituada label Discotexas. Da Chick abre a pista com a sua energia contagiante e depois segue-se Xinobi, que promete fazer a sala rebentar pelas costuras. Que a festa comece!

 

A noite começa com Da Chick a tomar o palco de assalto. Com paixão e frontalidade, ela quer, pode e manda. Da Chick traz o funk da velha escola, o groove eterno da soul e salta ao balanço rítmico do disco com um cocktail na mão, debitando letras açucaradas sobre deliciosas batidas.

 

“Chick to Chick”, o seu primeiro álbum, gravado e produzido por Moullinex, Xinobi, Cut Slack e Isac Ace, viaja pelo universo da soul, seja ele contemplado pelo funk, disco ou hip hop. É um disco sem estação – tanto tem de verão como de inverno – tem música solarenga, mas tem simultaneamente momentos inspiradíssimos de introspeção. São os dois polos mais interessantes de “Chick to Chick” – um primeiro que nos mostra a Street-Diva que já conhecemos e um segundo que apresenta uma Chick mais calma, sóbria e pronta para crescer.

 

Depois de Da Chick, é vez do já veterano Xinobi continuar a festa. Xinobi é Bruno Cardoso, um eterno jovem português obcecado com música. Ao gravar em editoras como a Discotexas, a Work It Baby, a Ministry of Sound ou a Nervous Records, ganhou reconhecimento entre artistas de renome e reputados opinion makers, aumentando, simultaneamente, o seu culto no underground; fatores que justificam uma rica e regular agenda nacional e internacional.

 

Apesar de poderem ser rotuladas como disco, house, electro ou techno, a verdade é que as suas músicas têm uma carismática marca de água, que é também transparecida nas suas atuações. Pode viajar-se do funk a um ambiente mais deep, com a coerência de uma banda sonora que une as palmeiras de Miami às noites gélidas de Berlim. Todos no palco, porque é lá que se vai fazer a festa!

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.