Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Da Lata para o Papel :: Projeto Time in a Can chega ao fim

timeinacan1.png

 

 

Com o término do solstício de inverno, o projeto Time in a Can chega ao fim. Várias latas foram recolhidas pelas cidades de Lisboa e Cascais (a comemorar este ano o seu 650º aniversário). Exposição de fotografias com paisagens da capital portuguesa tem data marcada para Primavera de 2015.

 

Lisboa, 19 janeiro – Realizou-se a penúltima etapa do projeto que tem por base a técnica da solarigrafia. O projeto Time in a Can ou ‘O Tempo numa Lata’, designação portuguesa, fixou-se em Portugal no dia 21 de junho de 2014, altura em que se inicia o solstício de verão, com a colocação de latas pelos mais belos recantos da cidade lisboeta e de Cascais, a comemorar este ano os 650 anos, com a colocação de latas em paisagens tao emblemáticas como a Baía de Cascais e o Forte do Guincho. Já por Lisboa, o Parque Eduardo VII, Monsanto ou Belém foram alguns dos pontos eleitos pelo fotógrafo português - Ricardo Coutinho, que acompanhou todo o projeto. Para o fotógrafo, “Lisboa tem das mais belas paisagens e é uma cidade única para se realizarem projetos como o Time in a Can, dado à sua natureza sustentável.” 

“A escolha da lata como objeto fotográfico é um excelente veículo para projetos que tenham preocupação com o meio ambiente”, refere Miguel Aballe, diretor geral da Associação de Latas de Bebidas (ALB), que afirma ainda que esta, “por ser considerada tecnicamente perfeita entre a comunidade científica e das artes, levou a ALB a fazer parte deste projeto com o objetivo de reforçar uma maior empatia pela embalagem.”

O projeto Time in a Can tem por base a técnica de solarigrafia, que consiste na captação de imagens através de uma camara estenopeica (sem lente). Para esta iniciativa foram utilizadas latas de bebida como camaras estenopeicas ou ‘pinhole’ devido à sua resistência às intempéries e à sua fortaleza e estanqueidade da luz. Com 6 meses de permanência (solstício de inverno), as latas recolhidas seguem agora para tratamento em câmara escura. A última etapa do projeto, que já tem data marcada para esta primavera, passará pela colocação das fotografias em exposição.