Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

"DA VINCI SIMULACRUM" DE MARGARIDA SARDINHA INAUGURA NO MUSEU IBÉRICO DE ARQUEOLOGIA E ARTE DE ABRANTES ESTE SÁBADO

descarregar (4).jpg

Margarida Sardinha apresenta o projecto Da Vinci Simulacrum, uma instalação de caixas de luz, em exposição com curadoria de Hugo Dinis no MIAA – Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes, de 23 de abril e 25 de setembro.
 
Tomando como ponto de partida algumas das pinturas e desenhos mais icónicos de Leonardo da Vinci (1452-1519) – A Última Ceia, Mona Lisa, São João Batista, Virgem dos Rochedos, entre outras obras menos conhecidas –, a artista desconstrói pressupostos geométricos existentes num inconsciente coletivo. Através da profunda investigação e do minucioso estudo sobre a simbologia, e recorrendo a uma metodologia que advém do conhecimento científico, artístico e religioso, as obras apresentadas questionam, sobretudo, o modo de apreensão do mundo, mas, também, a análise de uma estrutura interna inata. Neste sentido, os signos não são vistos no seu contexto imutável, nomeadamente social, político, cultural ou temporal, que tendem a fixar os seus significados. Ao perderem a sua âncora de significação, os símbolos revelam uma concentração formal, ou uma corrente combinatória de significados, dependente da sensibilidade humana que se traduz por um conjunto de ideias, emoções e linguagens transversais a todas as sociedades.
 
“O interessante é perceber que quando se fala de símbolos, arquétipos ou imutabilidade, existe uma estrutura por detrás daquele símbolo que se pode explorar de diferentes modos. Um símbolo pode ser político, religioso, científico ou comunitário. Portanto, o mesmo símbolo pode refletir diversas formas de pensar e representar diferentes significados em diferentes culturas e dediversos modos.”, explica Margarida Sardinha.
 
Da Vinci Simulacrum inaugura no dia 23 de Abril pelas 16h no MIAA – Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes, com o apoio de Garantir Cultura e Câmara Municipal de Abrantes em parceria com a Coleção de Arte Figueiredo Ribeiro.