Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

depois de Lisboa (CCB/Garagem Sul) e Nice (Forum d’Urbanisme et d´Architecture), a exposição O MAR É A NOSSA TERRA inaugura na Figueira da Foz no dia 15 de junho

Exposição O MAR É A NOSSA TERRA

 

15 JUNHO 2023 A 29 MAIO 2024

FIGUEIRA DA FOZ, Meeting Point + Núcleo Museológico do Mar (espaço complementar)

Inauguração: 14 de junho às 18h00

 

Curadores André Tavares e Miguel Figueira

Exposição coproduzida por Garagem Sul / Centro Cultural de Belém (Lisboa)

e Lab2PT, Laboratório de Paisagens, Património e Território – Universidade do Minho (Braga/Guimarães)

image002 (3).jpg

A exposição «O Mar é a nossa Terra» a inaugurar no dia 14 de junho, no Meeting Point da Figueira da Foz, foi concebida e apresentada em 2020 na Garagem Sul do Centro Cultural de Belém. Excertos desta mostra estiveram patentes no Forum d’Urbanisme et d´Architecture de Nice, em 2023, em França, antes desta apresentação que se divide entre o Meeting Point, na Praceta Ledesma Criado, na Figueira da Foz e o Núcleo Museológico do Mar, em Buarcos.

 

Esta exposição cartografa e apresenta as contradições que existem entre a terra e o mar, sob a perspetiva da arquitetura, do ordenamento do território e da construção da paisagem, matéria tão relevante para a sociedade por ser objeto de atenção de um conjunto de arquitetos que têm desafiado os limites convencionais da disciplina.

 

Tendo como ponto de partida as contradições físicas e a cultura popular da praia da Figueira da Foz, a exposição percorre um conjunto de experiências de pensamento, desenho e configuração das linhas de costa e da sua relação com a densa dimensão do oceano.

 

O mar assume-se como um lugar pelo que é necessário inverter o olhar sobre ele, pensando a construção da terra a partir das suas dinâmicas. Esta exposição pretende contribuir para uma nova cultura de transformar o mundo.

Com curadoria de Miguel Figueira e André Tavares, esta exposição reúne, pela 1ª vez, todo um conjunto de ferramentas no âmbito das práticas de inclusão, a citar: língua gestual, escrita com símbolos, folheto em escrita simplificada, experiências sensoriais, escrita em braille e audioguia.