Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Despertar da Primavera, uma tragédia Kinder

7021910b-a739-4a3b-b214-da15607dddc9.jpg

 

livro


tradução de 

José Maria Vieira Mendes

Edição da tradução de José Maria Vieira Mendes utilizada no espetáculo Despertar da Primavera que estreou em fevereiro no Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém. Concepção gráfica de Horácio Frutuoso, edição Teatro Praga. 

Em casos muitos discute-se se tradução é para ser mais fidel a originalis ou se deve torcer a modos de encaixar na língua que traduz. As posições ambas partem aos porém da ideia de que há duas línguas, uma + uma, y que o trilho de uma a altra se debuxa em reta linha. Esta tradução não brota de ideia tal, pero de que língua há muita, mesmo que só com nome um. Ou seja, é português lusitano o destino do doc deutsch de Wedekind, mas o que é isso está em aberto. faz-se donc uso de gramática e vocábulo recognescíveis, mixando tempos, geos, origens e por fora aí, esfocinhando-se por tirar tapete de norma, o que é idêntico a intentar ilimitar e dar força à variedade. Em não havendo linha, não se sabe adonde vai aportar a frase que vem após, e assi, ao menos, vive-se menos previsível, move-se o peso de conhecimentos sabidos e queda-se mais leve leve. Népia más que questo. É só apenas poder e aos porque poder assi, crê-se, mais bom é. Com bom, entenda-se livre. 

À venda na Rua das Gaivotas6 
ou encomendado através do email:
producao@teatropraga.com.
5€