Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Dia dos Namorados no Fluviário de Mora

_DSC0159 c+¦pia.jpg

 

De 11 a 14 de Fevereiro, o Fluviário de Mora tem presente diversas actividades temáticas que assinalam o “Dia de Darwin” e o “Dia dos Namorados”, na Sala de Aula e nas galerias expositivas.

A actividade “Barbatana Comigo” este ano traz algumas surpresas. Ele ou ela devem trazer sua cara-metade e descobrirem que casal curioso e enamorado formam. Para tal, basta responderem a algumas questões muito simples, que se encontram romanticamente distribuídas ao longo das exposições, e assinalar as suas respostas no folheto a solicitar no início da visita, à entrada do Fluviário de Mora. No final da visita, peça os resultados na recepção do Fluviário de Mora e descubra qual a dinâmica amorosa dos habitantes do Fluviário de Mora que mais se identifica com a vossa.

Não se entristeça se estiver só, pois aqui não lhe faltará boa companhia, entre lontras, rãs, cágados, pimpões, bordalos, e participe na actividade para descobrir qual deles poderia ser o seu melhor amigo. Claro que pode trazer os seus amigos e família para passarem momentos divertidos visitando o Fluviário de Mora, participar nestas actividades temáticas, almoçar no restaurante do Fluviário de Mora umas deliciosas migas de espargos, e, no final da tarde, passear no Parque Ecológico do Gameiro – a área envolvente do Fluviário de Mora.

E por falar em “Dia dos Namorados”, o Fluviário de Mora não esquece os cientistas bem-amados, celebrando um dos mais famosos de todos os tempos – Charles Darwin - com a actividade EVO/DEVO”. Mas antes de mais, quem foi Charles Darwin e porque é ainda hoje em dia tão importante a sua obra?


Charles Darwin (12 Fevereiro 1809 – 19 Abril 1882) foi um naturalista britânico que provocou um severo impacto científico, de grande agitação filosófica, social, cultural, académica e religiosa, em plena época vitoriana, quando publicou, em 1859, a sua famosa obra A Origem das Espécies / On the Origin of Species by means of Natural Selection. Nessa obra, expôs as suas ideias em como todas as formas de vida tinham um ancestral em comum, e que viriam a dar origem à teoria da evolução através da selecção natural, apresentando numerosos exemplos. Com o tempo, viria a ganhar apoiantes e defensores tão famosos como T. H. Huxley, e ver a sua tese aceite como um facto. Charles Darwin registou então que morfologias semelhantes de diversos embriões implicavam haver um ancestral comum, mas só a partir de 1970 com o advento das técnicas de genética molecular foi possível desenvolver um novo ramo da ciência, a biologia evolutiva do desenvolvimento, informalmente conhecida por evo-devo.

 

Na visita ao Fluviário de Mora, fica-se a saber mais sobre Charles Darwin, na Sala de Aula, a sua vida e obra, a teoria da evolução através da selecção natural, e sobre biologia evolutiva do desenvolvimento com a actividade EVO/DEVO, pois a ciência não pára e é tempo de apresentar a mais nova descendente da evo-devo, a Eco-evo-devo.

Visite o Fluviário de Mora e participe nas actividades temáticas de 11 a 14 de Fevereiro , e, já agora, ficam outras sugestões: adquira um bilhete de visita conjunta ao Fluviário de Mora e ao novíssimo Museu Interactivo do Megalitismo, conheça a Anta de Pavia ou outros dos monumentos megalíticos do concelho de Mora. E como o mês de Fevereiro é o “Mês das Migas”, não deixe de saborear os mais diversos pratos de migas nos restaurantes aderentes do concelho de Mora.

 

Ao fim de nove anos, por onde passaram mais de 750 mil visitantes, crianças, famílias, escolas e outros grupos, o Fluviário de Mora continua a inovar e a renovar-se como a maior e mais reconhecida instituição em Portugal, e também na Europa, de divulgação do maravilhoso mundo dos Rios e dos Lagos.

 

Com mais de 500 exemplares de 55 espécies, continua a valer a pena visitar e revisitar o Fluviário de Mora.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.