Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

DRCN investe 13 Milhões de Euros na Cultura e Património

DRCN descentraliza investimento na Região

 

 

A Direção Regional de Cultura do Norte espera concretizar um investimento total de 13 Milhões de Euros até final de 2018, no âmbito das candidaturas apresentadas ao Programa Operacional Norte 2020.

 

A estratégia delineada pela Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) visa a descentralização do investimento, alargando as suas ações a todo o território, num plano de trabalho em rede que contempla, igualmente, dioceses, autarquias e agentes culturais locais, com os quais a DRCN estabeleceu já protocolos de colaboração.

 

Visando a salvaguarda e proteção do património, mas também a sua dinamização, divulgação e consequente fruição por parte do público, as candidaturas apresentadas aos fundos comunitários revestem-se de um caráter transversal, dando continuidade ao trabalho que tem vindo a ser realizado ao longo dos últimos anos, num claro esforço de criação de sinergias alargadas a todo o território, com claras repercussões ao nível das economias locais. 

 

 

Descrição das Candidaturas

 

Candidatura «Rota das Catedrais do Norte de Portugal» - Com um investimento total de 2,5 Milhões de Euros, a concretizar até final de 2018, esta operação visa promover e consolidar o projeto nacional, iniciado em 2009, através de um Acordo de Cooperação celebrado entre o Ministério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa.

A «Rota das Catedrais a Norte de Portugal» compreende intervenções infraestruturais de qualificação e valorização no Património imóvel, móvel e integrado de sete Sés/Catedrais da Região Norte: Braga, Bragança, Lamego, Miranda do Douro, Porto, Vila Real e Viana do Castelo.

Esta operação em concreto está organizada em 12 ações infraestruturais que incidem em 7 Sés ou Catedrais, e uma ação de promoção e gestão transversal a todos os espaços.

A coordenação e acompanhamento técnico será da competência da Direção Regional de Cultura do Norte e a responsabilidade financeira será repartida entre as entidades eclesiásticas de acordo com a natureza da intervenção em cada catedral. 

 

 

Candidatura «Mosteiros a Norte» - Com um investimento total de 2,5 Milhões de Euros, a concretizar até final de 2018, esta operação visa dar continuidade às intervenções de consolidação do edificado já anteriormente realizadas nos Mosteiros de Arouca, Grijó, Rendufe, Tibães, Pombeiro e Vilar de Frades. Pretende-se melhorar e criar espaços de receção/acolhimento, reforçar as iniciativas culturais e artísticas, divulgar os espaços monásticos como pólos de atração no território e atrair novos públicos.

A operação «Mosteiros a Norte» constitui um itinerário de valor patrimonial, resultante do aprofundamento dos modos de intervir em monumentos, da criação de condições de receção e acolhimento dos visitantes. Todos os mosteiros integrados nesta candidatura estão atualmente abertos ao público e sem intervenções a decorrer.

 

 

Candidatura «Museus a Norte» - Com um investimento total de 2,5 Milhões de Euros, a concretizar até meados de 2018, esta operação visa contribuir para o reforço do poder de captação de público através de melhorias na divulgação, qualidade de receção, atendimento e experiência de visita.

As ações a desenvolver serão transversais a toda a rede e contribuirão para o desenvolvimento turístico, com benefício económico para as regiões onde se inserem, e irão incidir no Museu de Lamego, Paço dos Duques, Museu da Terra de Miranda e Museu dos Biscainhos.

Até 2019, a Direção Regional de Cultura do Norte estima que o número de visitantes nos quatro museus que integram esta rede possa atingir a fasquia dos 400 mil visitantes/ano.

 

 

Candidatura «Castelos a Norte» - Com um investimento total de 2,5 Milhões de Euros, a concretizar até final de 2018, esta operação visa intervir nos castelos raianos da Região Norte: Castelo de Montalegre, Castelo de Monforte de Rio Livre (Chaves), Castelo de Outeiro (Bragança), Castelo de Mogadouro e Castelo de Miranda do Douro.

Através de um projeto de revitalização, incidindo sobretudo em ações de recuperação, divulgação e promoção turístico-cultural, pretende-se potenciar o usufruto dos monumentos pela população local e pelos turistas, nacionais e estrangeiros.

Em termos beneficiários, esta operação inclui, além da Direção Regional de Cultura do Norte, os Municípios de Miranda do Douro e Montalegre.

 

 

Candidatura «Igreja de Santa Clara do Porto» - Com um investimento total de 2 Milhões de Euros, a concretizar até final de 2018, esta operação visa ações de valorização e promoção deste importantíssimo Monumento Nacional, classificado desde 1910. A Igreja de Santa Clara do Porto é uma valiosa herança patrimonial que urge conservar e promover. O seu atual estado de degradação obriga à realização de ações de reabilitação/conservação e restauro, assentes em critérios de rigor histórico, científico e técnico. O projeto, além da reabilitação do edificado e do espólio artístico integrado, visa ainda a criação de condições de receção ao visitante, assim como a valorização e promoção, atraindo novos públicos para um imóvel único na região e no País.

 

 

Candidatura «Artes no Território a Norte» - Com um investimento total de 400 Mil Euros, a concretizar até meados de 2018, esta operação visa constituir-se como uma proposta de dinamização cultural de um conjunto de espaços afetos à Direção Regional de Cultura do Norte, entre os quais três mosteiros (Tarouca, Tibães e Pombeiro) e três castelos (Miranda, Mogadouro e Montalegre), num percurso que se pretende continuado e alargado no tempo, mas inicialmente circunscrito a um período de dois anos. Surge como complemento às operações «Mosteiros a Norte» e «Castelos a Norte».

O projeto «Artes no Território a Norte» cumpre o duplo propósito de valorizar o património e estimular a criação artística em diferentes domínios ou expressões e compreende 4 ações a realizar nos espaços acima mencionados, promovendo o cruzamento artístico entre estruturas representativas de todas as disciplinas artísticas existentes na região: Artes Plásticas no Mosteiros; Artes Performativas nos Castelos; Música nos Castelos e Cinema nos Castelos.

  

 

Candidatura «Dias do Património a Norte» - Com um investimento total de 400 Mil Euros, a concretizar até final de 2017, esta operação constitui-se como um projeto de turismo cultural inovador, agregador e atrativo, que utiliza como instrumentos fundamentais a programação cultural, o trabalho de mediação com as comunidades e a comunicação ao serviço da qualificação da experiência turística e da competitividade da economia regional.

O foco deste evento em rede será, numa primeira fase, a «Rota das Catedrais do Norte de Portugal» e a rede «Mosteiros a Norte», concretamente as catedrais de Braga, Bragança, Lamego e Miranda do Douro e os mosteiros de Arouca, Grijó, Tibães e Vilar de Frades.

Será desenhada uma experiência única e particular para cada um dos lugares, oferecendo ao longo de 1 dia uma programação que impregnará de novas memórias os espaços, visitantes e comunidades. O ciclo de programação «Dias do Património» vai decorrer no primeiro sábado de cada mês, entre Março e Outubro de 2017.