Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

“Eixo Reflexivo” - nova produção da Dançarte estreia em abril

descarregar (6).jpg

 

nserida na temporada Portugal-França 2022, a inauguração terá lugar no dia 17 de março, pelas 18h00

 

Mulher, personagem, cor e movimento, construção e desconstrução, luz e forma, estética são conjugações transversais na obra de ANA CARVALHO, em que gosta de tropeçar.

 

Cada desvio do seu olhar, através da lente, procura registar " O MOMENTO", onde os cenários estão em permanente construção e a mulher os habita.

 

O seu impulso, atento por observação constante do mundo que a rodeia e onde passa para o sentir, é o registo de uma leitura social e estética, numa narrativa que nos inquieta, apelando aos nossos sentidos e convocando emoções.

 

Não foi  o acaso que  permitiu que entre dezenas de registos, clickes quase premonitórios, tenha optado por este tema - MULHER PLURAL - para  mostra do seu trabalho, integrado na  Temporada Portugal-França 2022 , como o meio de expressão e de reflexão sociocultural.

 

A Mulher tem na obra de Ana Carvalho uma presença múltipla que nos permite percecionar a relevância do feminino, no mundo global, onde diversidade e desigualdade são plasmadas e visíveis as multiplicidades culturais, cruzando a técnica com a leveza da arte. Esta é pois a diversidade que o feminino nos consagra.

 

O acto de registar a imagem tem como pressuposto uma leitura estética, que se observa nos detalhes, nas linhas, nas formas, nas cores, nas composições que se desenham sem que intervenha... mas que Ana Carvalho regista para nos inquietar através da sua estética.

 

Questões sociais como o multiculturalismo, a desigualdade e a segregação estarão patentes nesta exposição, até 29 de abril na Biblioteca de Alcântara, com curadoria de Ana Maria Calçada

 

ANA CARVALHO

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas (Inglês-Alemão). Foi bolseira na Universidade de Leipzig (1980-1985). Tradutora e leitora de Português na Universidade de Berlim entre 1985 e 1994, e para a União Europeia em 2010. Tradutora literária de 1994 a 2013.

Formação em Fotografia Digital na Academia Fotogram de Amesterdão. Participou em várias exposições individuais e coletivas em Amesterdão, Bruxelas, Utrecht, Haarlem, Paris, Porto, Lagoa, Cascais (FLIC), Óbidos (SIPO), Matosinhos, S. João da Madeira, Avintes (Festival Instantes). 

Os seus contributos fotográficos para revistas são vastos: LetrasConVida (CLEPUL) na rubrica "Signos & Rotações", revista da Academia Brasileira de Letras, revista digital holandesa “A quattro mani”, no blog/revista dos Mapas do Confinamento como fotógrafa e designer do logótipo. 

Membro da redação da revista de divulgação de literatura lusófona "ZucaMagazine" (fotografia e composição gráfica) "sans-serif"; color: rgb(85

Autora de fotografias para capas de livros e para os cadernos dos livros "Deus é brasileiro" e "Luz sobre Lisboa" de Harrie Lemmens.

 

Projeção em sessões literárias nas publicações: "O mundo de Lobo Antunes", "Mar Terra Mar", "O relógio da alma", antologia de poetas portugueses “Deixei cair o tempo sobre o teu nome”. 

 

www.anacarvalho.nl

 

A exposição poderá ser visitada no horário de funcionamento da Biblioteca:

  • Segunda a Sexta: 10H00 às 18H00
  • Sábados: 2º e 4º sábado do mês da 10h00 às 18h00