Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

EM DEZEMBRO no Teatro Taborda

 
ONDE NÃO PUDERES AMAR
NÃO TE DEMORES

TEATRO DO VÃO

57e49965-4d2a-408a-bb2f-175134e5310a.jpg

 


 
6 a 9 dez
qui-sáb 21h, dom 16h30
Teatro Taborda
 
Onde não puderes amar não te demores é sobre a dor lúcida e corrosiva que se testemunha no corpo do intérprete. É sobre o amor inquieto, vertiginoso, revelador, aquele que nos define.
É o ator que é uma Frida recontada a solo que se assume com a sua geografia, um corpo poético, que mapeia sensações.
É na memória coletiva que nos reencontramos com aquilo que inquieta, que vibra e comove. Apresentar este objeto num corpo masculino é um manifesto de liberdade. É devolver à figura da pintora a liberdade do seu género, a atualização das suas convicções.
Daniel Gorjão
 
FICHA ARTÍSTICA  E TÉCNICA
Direção Artística Daniel Gorjão Dramaturgia Maria Jorge Interpretação João Villas-Boas Apoio ao Movimento Maria Carvalho Desenho de Luz e Direção Técnica Sara Garrinhas Música Original e Sonoplastia Miguel Lucas Mendes Teaser e Imagem Promocional Miguel Leitão Figurinos JFD Ideas and Details Execução Figurinos Atelier Teresa Capitão Produção Executiva Mónica Talina Produção Teatro do Vão

Duração aprox. 45 MIN | M/16 
 
 
 
 
FI-LAN-QUÊ?
97ª Criação Teatro da Garagem
Adaptação e Encenação Maria João Vicente

[TEATRO PARA A INFÂNCIA]
 

f264090e-c547-4c70-8df9-ad28b9578432.jpg

 

10 a 15 dez
seg-sex 10h30, sáb 16h30

Teatro Taborda

Hipólito, o hipopótamo, andava triste por pensar que não tinha amigos e que ninguém gostava dele. O seu amigo Rato tenta consolá-lo e diz-lhe que ele é um verdadeiro filantropo! "Fi-lan-quê?" perguntou Hipólito. Seria um insulto? Seria um palavrão?
FI-LAN-QUÊ? é um espetáculo para a infância, que parte de uma história de Eric Many e nos fala sobre a importância de saber novas palavras e do valor da amizade.


FICHA ARTÍSTICA  E TÉCNICA
Encenação Maria João Vicente Interpretação João Cachola e Martyn Gama Cenografia e Figurinos Sérgio Loureiro Música Daniel Cervantes Direção Técnica Nuno Samora Operação de Luz Manuel Abrantes Direção de Produção Maria João Vicente Produção e Comunicação Carolina Mano Assistência de Produção Joana Rodrigues

Duração aprox. 40 MIN | M/3
 
+ infos e reservas
producao@teatrodagaragem.com
218 854 190
 
 

435ffe34-e43c-4626-8974-10a45ddf4124.jpg

 

CONTRABANDO
96ª Criação Teatro da Garagem
Coprodução Teatro Municipal de Bragança
No âmbito do projeto O Teatro e as Serras da Direção Regional de Cultura do Norte


18 a 21 dezembro | Residência Artística #2
Trás-os-Montes [Bragança, Vinhais e Montalegre] 

con·tra·ban·do 
[1] s. m. introdução clandestina de produtos desviados aos direitos; produtos que formam o contrabando; gente suspeita e de mau porte; comércio proibido. (Do it. contrabbando, «id.»).
[2] s.m. bando de indivíduos de opinião contrária à de outro bando. (De contra+bando).

"contrabando", in Dicionário da Língua Portuguesa [6ª Edição], Porto Editora

 

 

Falar Claro
Saber Maior - Universidade Sénior de Santa Maria Maior

623782b7-d8ed-45a1-aced-ac58f7e7432d.jpg

 


[SERVIÇO EDUCATIVO]
 

out 2018 a jun 2019 | quintas-feiras, 10h30 
Formação para os mais velhos
Junta de Freguesia de Santa Maria Maior
 

Para comunicar utilizamos a voz, o corpo, a escrita, o pensamento e a argumentação no sentido de efetivar trocas de informações que nos permitam socializar e viver melhor uns com os outros. Deste modo, a escuta ativa, a tolerância e a clareza discursiva, (numa perspetiva técnica e de organização das ideias), são fundamentais para entendermos os outros e para nos fazermos entender.
 
+ infos e inscrições aqui


 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.