Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Ensaiarte estreia “Vanessa vai à luta”no Auditório Municipal de Pinhal Novo | 27 e 28 de janeiro - Auditório Municipal de Pinhal Novo

Vanessa vai à luta.jpg

 

Nos dias 27 e 28 de janeiro, o Auditório Municipal de Pinhal Novo recebe, em estreia, a nova produção do grupo de teatro Ensaiarte. “Vanessa vai à luta” sobe ao palco sempre às 21h30, numa organização da companhia, com o apoio da Câmara Municipal de Palmela.

O espetáculo, com base num texto de Luísa Costa Gomes e dramaturgia e encenação de Célia Figueira, utiliza o humor “não fácil” para nos falar de Vanessa, uma menina inteligente e perspicaz, que questiona as normas sociais que envolvem e tolhem a sua família, com particular atenção para a igualdade de género e os papéis habitualmente associados à "mulher" e ao "homem" na sociedade.

“Vanessa vai à luta” destina-se a maiores de oito anos. Reservas através dos números 966564933, 915343493 ou 212336638.

 

 

Sinopse: «Mãe da Vanessa, com uma gravidez extemporânea, compra pela televisão pequenos aparelhos milagrosos que lhe façam diminuir a barriga, porque afinal - “nunca fui gorda!...Já viu a barriga que eu tenho? Mas não tenho celulite! É verdade. Nem tinha pensado que estava grávida!”

Rodrigo, irmão da Vanessa, procura incessantemente, nos meios de comunicação, aparelhos de ginástica e dietas de efeito rápido - “Olhe esta bicicleta aqui, Mãezinha”.

O Pai da Vanessa coleciona rádios antigos recordando deles um passado morno, quieto e pobre, partilhando-o com a filha –

”A Vanessa? É verdade, a gente até se esquece de que é uma menina”.

Vanessa é uma menina que deseja ter uma metralhadora como prenda de aniversário e para quê? “Para brincar, Mãe!”…Não…”Agora já sei para que é.

É para defender a minha irmã pequena”.

Esta menina, de arguta perspicácia, questiona constantemente as normas sociais que a envolvem: “já cá faltava o vestidinho cor de rosa!; Mãe porque é que não fazem bonecas com metralhadoras?; Pai não me dizes como é que se pode brincar com uma vassoura?; “Mãe por não saberes se queres ter um rapaz ou uma rapariga é que deixas o Deus decidir? ; “Pai, podiam-se pôr de acordo sobre qual é a história que devem contar às crianças”.

A trama cheia de humor lúcido e não fácil, desenrola-se em torno de 5 personagens, fluindo como se o tempo não existisse.»

 

 

Ficha técnica:

Texto - Luísa Costa Gomes
Dramaturgia e Encenação – Célia Figueira
Cartaz - José Galvão

Vanessa -  Beatriz Pedro

Rodrigo - Daniel Ribeiro

Mãe da Vanessa - Carla Pereira

Pai da Vanessa - Nelson Prates

Fada Marina - Ana Lagarto

Compilação sonora - José Galvão

Desenho do Cenário - Célia Figueira

Construção do Cenário - Carla Pereira, Vera Bastos, Ana Lagarto

Composição gráfica - Porfírio Pires

Desenho do Figurino - Zé Gaf

Guarda Roupa - Carla Pereira, Nelson Prates, Beatriz Pedro

Divulgação - Miguel Reis e Nelson Prates

Operadoras de Som e Luz -  Ester Pereira, Vera Bastos e AnaTé Ruas

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.