Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Esta semana no Museu Nacional da Música: 10 Outubro - Quarteto de Cordas Martins Fontes; 11 Outubro - Música sobre Música – do Barroco ao Bebop (concertos de entrada livre)

OUT10

Quarteto de Cordas Martins Fontes

19h, Entrada Livre

brasileiros.jpg

 

Organização: MPMP, movimento patrimonial pela música portuguesa e Museu Nacional da Música

Projeto Tradições / Quarteto de Cordas Martins Fontes / Portugal 2019
Os ramos que as raízes não conhecem!
Programa:
1. Casinha Pequenina – Folclore (arr. Oswaldo Lacerda) / Modinha – Sergio
Bittencourt (arr. Ari Costa)
2. Gaucho Corta Jaca – Chiquinha Gonzaga (arr. Fábio Pellegatti)
3. Trenzinho Caipira – Villa Lobos (arr. Fernando de Oliveira)
4. Noites Cariocas – Jacob do Bandolim (arr. Hudson Nogueira)
5. No Teu Poema – José Luis Tinoco (arr. Fernando de Oliveira)
6. Garota de Ipanema – Tom Jobim e Vinícius de Moraes (arr. Fábio Pellegatti)
7. Manhã de Carnaval – Luiz Bonfá (arr. Mathew Naughtin)
8. Bebê – Hermeto Pacoal (arr. Fábio Pellegatti)
9. Fado Tropical – Chico Buarque de Holanda (arr. Fernando de Oliveira)
10. Odeon – Ernesto Nazarett (arr. Ary Costa)
11. Asa Branca – Luiz Gonzaga (arr. Ulisses/Bamba)
12. Brasileirinho – Waldir Azevedo (arr. Ulisses/Bamba)
13. O Pastor – MadreDeus (arr. Fernando de Oliveira)
14. Aquarela do Brasil – Ary Barroso (arr. Fernando de Oliveira)
15. Homenagem à Cartola – O Mundo é um Moinho, Alvorada, As Rosas Não Falam
e O Sol Nascerá (arr. Hudson Nogueira)
16. Chiclete com Banana – Jackson do Pandeiro (arr. Hudson Nogueira)
17. Sinhá Pureza – Pinduca (arr. Hudson Nogueira)
18. Vassourinha – Matias da Rocha e Joana Batista Ramos (arr. Hudson Nogueira)

Ulisses Nicolai e Adonai Ribeiro (violinos), Erlon Lima (viola), Rossana Nicolai
(violoncelo) e o músico convidado João Francisco Correia (clarinete e percussão).

Criado em 1976, o Quarteto de Cordas Martins Fontes tem o objectivo de divulgar e aproximar a música de câmara do público em geral. O grupo musical foi oficializado pela Prefeitura de Santos em 1982 (Decreto: 6.188, de 9 de novembro), tornando-se assim Corpo Estável do Município.
O quarteto possui a formação clássica dos conjuntos de câmara, composta por dois violinos, viola e violoncelo. Actualmente fazem parte do grupo os músicos Ulisses Nicolai e Adonai Ribeiro (violinos), Erlon Silva Lima (viola) e Rossana Nicolai (violoncelo).
Nestas mais de quatro décadas de trajectória, diversos procjetos foram realizados pelo quarteto com base no repertório deste género, com destaque para os projetos 'Fá, Sol, Lá', 'Concertos Oficiais', 'Didático', 'Concertos Populares' e 'Roteiro Musical'.
Desde o ano passado, o Quarteto de Cordas tornou-se uma das principais atracções do procjeto Hora da Cultura, que leva actividades artísticas para dentro das escolas municipais de Santos. No decorrer da iniciativa coordenada pela Secretaria de Cultura de Santos, o grupo convidou o clarinetista João Francisco Correia para participar nas apresentações.
Dessa junção do som do Quarteto de Cordas com a melodia do clarinete surgiu o Projecto Tradições, em que os músicos fazem um passeio pelos diversos ritmos brasileiros: carimbó, frevo, baião, forró, samba, sertanejo, choro, bossa nova entre outros.
A rica mistura de ritmos aliada ao talento dos músicos do grupo santista resultará numa apresentação no Museu Nacional da Música em Lisboa. Ainda como parte da primeira digressão internacional do grupo - programada para a primeira quinzena de Outubro -, o quarteto vai apresentar-se também nas cidades do Porto, Lisboa e Braga. 
 
 
 
OUT11

 

Música sobre Música – do Barroco ao Bebop

19h, Entrada Livre

Ellen Joe Dorothy Kent photo for museum concert.jp

 

 
#EntradaLivre
Programa

Dorothy Stone soprano
Ellen Rabiner contralto
Kent Dennis pianista
Joe Coronado pianista


Música sobre Música – do Barroco ao Bebop

Music for a While – Henry Purcell 1659-1695
Gioate al Canto Mio – Jacopo Peri 1561-1633
Orpheus with his Lute – William Schuman 1910-1992

An Die Musik – Franz Schubert 1797-1828
Auf Fluegen des Gesanges – Mendelssohn 1809-1847
Die Melodien zieht es mir – Johannes Brahms 1833-1897
Si mes vers avaient des ailes – Reynaldo Hahn 1874-1947
Standchen – Johannes Brahms
Standchen – Franz Schubert

Review – Cornelius Dougherty 1902-1986
Say it with Music – Irving Berlin 1888-1989
I hear Music/You’re just in Love – Irving Berlin
This Song is You – Jerome Kern 1885-1945
With a Song in my Heart – Richard Rodgers 1902-1979

It Don’t Mean a Thing if Ain’t Got that Swing – Duke Ellington 1899-1974
Music, You are a Friend to Me – Jay Althouse n.1951


ELLEN RABINER
Contralto

Ellen Rabiner estreou-se na Metropolitan Opera em 1994 como Erste Magd em Elektra (papel que também interpretou em Tóquio com Seiji Osawa na Opera Nomuri), regressando a esta companhia como solista durante 17 temporadas. No Met interpretou Sonyetka em Lady Macbeth de Mtsensk, Schwertleite em Die Walküre e Die Kranke em Moses und Aron.
Actuou também nos palcos de companhias de São Francisco (Erda em Das Rheingold), Nova Iorque (Suzuki em Madama Butterfly), Santa Fé (Gaia em Daphne), L’Opera National du Rhin (Kontchakovna em Knyaz Igor) e na DNO em Amsterdão (Pasqualita em Doctor Atomic).
Rabiner apresentou-se em recitais com as melhores orquestras dos EUA, como a Cleveland Orchestra e a Boston Symphony. O seu repertório inclui Messiah de Handel, Missa em Si menor, El Amor Brujo, Alexander Nevsky e a Sinfonia #3 de Mahler.
Rabiner tem um mestrado em Música na Indiana University School of Music e um doutoramento em Direito em Harvard. Nasceu em Nova Iorque e mora actualmente em Lisboa.

JOSÉ CORONADO
pianista

José Coronado nasceu nos Estados Unidos da América (Aurora, Illinois). Passou metade da vida em Lisboa, onde desenvolve a sua abrangente carreira, como fagotista, pianista, cantor, actor, arranjador, compositor e maestro.
Tomou pela primeira vez contacto com o género do musical ao assistir ao espectáculo “Anything Goes” (Cole Porter) que o marcou profundamente, despertando, deste modo, a sua apreciação e a sua dedicação ao género. Desse momento em diante, realizou pequenas intervenções no palco, em peças como “Christmas Carol” e “Oliver,” de Charles Dickens. Como actor, cantor, fagotista ou pianista, participou em “Guys and Dolls,” “Carousel,” “West Side Story,” “Godspell,” “South Pacific,” “The truth about Cinderella,” “Music Man,” “Man of la Mancha,” “Superman,” “My Fair Lady,” “Hello Dolly” e “Pajama Game.” Aos treze anos, foi pianista responsável por toda a preparação e interpretação do musical “Cabaret.”
Desde os seus tempos de estudante, integrou várias orquestras como fagotista (Orquestra Sinfónica de Fox Valley e Orquestra Sinfónica Juvenil de Greater Chicago) e, em 1979, foi dispensado do seu curso regular, por ordem do Presidente dos Estados Unidos da América, para uma tournée como fagotista da McDonald’s All American High-School Band e All Amerciacn Jazz Band. Nesta ocasião, apresentou-se no Carnegie Hall (Nova Iorque), executando fagote e flautim com Lionel Hampton. Foi vencedor do concurso para solista no concerto em memória de Arthur Schnabel, tendo também tocado sob a direcção do maestro Leonard Bernstein. Por mérito, como vencedor de um concurso em 1980, foi bolseiro do New England Conservatory of Music, onde terminou o curso com distinção (1985) com os diplomas de “Bachelor of Music Education” e “Bachelor in Applied Music Bassoon Performance”. Estudou com os professores das orquestras sinfónicas de Chicago, Philadelphia, Boston e Ópera Metropolitana de Nova Iorque. Participou em inúmeros concertos nos estados de Massachussets e de New Hampshire e em cidades como Chicago, Las Vegas, e Toronto. Deu concertos na Europa, Asia, e América de Sul.
De 1990 até 2017 tocou na Orquestra Gulbenkian como 2º. Fagote Solista. Como pianista, arranjador, maestro e cantor, participa nos agrupamentos Castafiore Trio (opereta), 4 por 4 (música popular de Macau, África, Portugal e Brasil), Vozes da Broadway. Em Abril de 2006, cantou em “Salome” de R. Strauss, na Fundação Gulbenkian. Participa com muitos outros artistas em recitais de canto e de instrumentos. Desde 2015 tocou recitais com Ellen Rabiner.


DOROTHY STONE
Soprano

Dorothy Stone ensinou e actuou em ópera, opereta, teatro musical e recitais nos Estados Unidos, Europa e América do Sul. Como intérprete ativa e professora de mestrado, combina o seu estilo único e holístico de ensino com um amplo conhecimento do repertório vocal, abrangendo uma grande variedade de estilos musicais. Viajou extensivamente para treinar cantores nos Estados Unidos, França, Suíça, Canadá, Inglaterra, Hungria, Bulgária, Rússia, Alemanha, Grécia, Chile, Uruguai e Argentina.
Cantou os papeis operáticos em Aida, Il Trovatore, Otello e Un Ballo in Maschera. No teatro musical cantou a Mother Abbess no Música no Coração, Queen Aggravain no Once Upon a Mattress. Cantou em prestigiadas salas por todo o mundo, como Los Angeles’ Steinway Hall, Moscow’s Tchaikovsky Hall, NYC Weil Recital Hall e Carnegie Hall.

KENT DENNIS
Pianista

Kent Dennis é um pianista e maestro na faculdade da American Academy of Musical and Dramatic Arts em Nova Iorque. Pertence ao corpo docente, dando também aulas como freelancer; Trabalhou como Director de música da Igreja Evangelica Lutherana em Tulsa, Oklahoma e como maestro da Tulsa Projects. Licenciou-se na Universidade de Tulsa (Oklahoma).
Possui um mestrado em performance de piano. É membro do New York City Gay Men’s Chorus, atuando como líder da secção e apresentou-se no Madison Square Garden (com Hugh Jackman) e no Carnegie Hall. Anteriormente foi director artístico do Council Oak Men's Chorale e director musical do Tulsa Project Theatre. Violinista talentoso, tocou com várias orquestras profissionais. Recentemente participou em Nova Iorque num musical baseado na vida de Anne Frank.