Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

EVA PORO #1 | Nova criação de Madalena Victorino e Joana Guerra + convidados: espectáculo de arte comunitária sobre o desaparecimento

27e0152e-4037-4928-83cb-ab90270517e0.jpg

 

EVA PORO #1: arte comunitária na paisagem sobre o desaparecimento, uma vontade de existir no ar

Em Fevereiro 2019, a programação cultural 'Lavrar o Mar' convida a uma imersão nas deslumbrantes paisagens da Costa Vicentina e do Alto da Serra de Monchique.
EVA PORO #1, com direcção artística de Madalena Victorino e Joana Guerra, em co-criação com Alix Sarrouy, Miguel Nogueira, Nicolau da Costa, Patrick Murys e Remi Gallet e inúmeros convidados, tem ESTREIA ABSOLUTA marcada para dia 8, 9 e 10 Fevereiro, num monte chamado Paraíso, Freguesia da Bordeira / Aljezur e apresentações também a 22, 23 e 24 Fevereiro, na Aldeia de Barbelote, em Monchique.

Dias 8, 9, 10 Fevereiro o ponto de encontro será na Aldeia da Vilarinha / Carrapateira já nos dias 22, 23 e 24, o ponto de encontro será no Heliporto de Monchique, sempre pelas 15h30.



Espectáculo de arte comunitária ao ar livre, 'Eva Poro #1', coloca em cena artistas (homens e uma mulher) e rapazes de contextos escolares muito diversos, juntamente com animais (tão reais quanto oníricos), para investigar, através do som e do movimento e, em recantos perdidos e abandonados pela costa e na serra, o que desapareceu ou se está a desaparecer. 

Onde se intersectam a inteligência e organização das sociedades animais e humana? Como se recuperam, pelo movimento, necessidades que, ancestralmente gravadas no nosso ADN, estão agora em vias-de-evaporação ou em mutação, ou em migração? 

Uma ficção performativa assente na procura do corpo aéreo e  de acções primordiais. 
Uma espécie de exercício de resistência pela memória, por uma matriz que não se pode apagar (mas pode-se redescobrir) e por aquilo que nasce de um espaço silencioso, esvaziado de tudo o que sempre o habitou. Como a transfiguração de uma aldeia, uma sensação, um estado.


EVA é a primeira mulher e é também uma égua que se evaporou do prado sem que ninguém desse por isso. PORO é o que, à flor da pele, nos liga ao interior do corpo, do coração. 

"EVA PORO #1" é a primeira de duas criações transdisciplinares que abordam, a partir de diferentes prismas e géneros, o assunto do desaparecimento, da evaporação, do fim das coisas, no seio das belíssimas paisagens da Costa Vicentina e Serra de Monchique.
O resultado da segunda criação (EVA PORO #2) será apresentado em Maio deste ano.


Quando o mundo que se conhece já lá não está, como ir em busca do que desapareceu? Como transformar o desaparecido em algo que reaparece mas com outra forma?  

Arte comunitária na paisagem sobre o desaparecimento, uma vontade de existir no ar: 'EVA PORO #1".

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.