Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição de Christiane Peschek

 

22/04 -> 11/06
Exposição de Christiane Peschek

A Ilha e a XYZ Bookshop convidaram a artista austríaca Christiane Peschek para uma exposição individual do seu recente projecto 'You disappeared in complete silence', com inauguração no próximo dia 22 de Abril a partir das 19:00 horas.

You disappeared in complete silence

Tento compreender o poder da imaginação. Conceptualmente e visualmente, tento preencher o vazio entre o que consigo recordar e o mundo de ligações e conexões da memória visual. A câmera é uma ferramenta para captar as minhas pessoais e anedóticas memórias. Neste caso o processo do meu trabalho é guiado pelo erro da captura fotográfica e pela exploração da vida. Parcialmente biográfico, parcialmente como um observador do lado de fora, procuro as facetas e o papel das emoções. Submeto-me a esse processo e cruzo-me com ausência, ligações e relações, dissipando e reconstruindo estas descobertas de modo a inventar sempre uma nova imagem do Mundo.

 

Estou interessada em histórias, em ficções. Em ficções que vêm de trás, e que interpretamos como passado ou história, e ficções que vão para além do nosso tempo, e que interpretamos como projecções de um futuro. No meio, o momento em que nos encontramos, o qual definimos como realidade ou presente, e do qual percepcionamos e construímos através da imaginação (ou memória pessoal + memória cultural + juízos) o Passado e o Futuro.

 

Através do meu trabalho, desconstruo os mecanismos por detrás da narrativa. Ao reconstruir novas possíveis ficções, coloco em evidência os dispositivos de construção discursiva e ofereço uma nova interpretação de realidade construída. A realidade apenas pode ser suposta e nunca realmente conhecida.

 

No meu trabalho actual "You disappeared in complete silence", utilizei a Floresta como elemento de construção e destruição de Amor. Em diversas fotografias, objectos e textos, refiro-me à teoria da construção de realidade de Jorge Luis Borges.

 

Crio uma floresta como metáfora para a construção de um espaço emocional entre dois amantes, ao mesmo tempo que lido com a sua ausência na imagem. Combino textos, objectos e fotografias de intervenções e instalações de modo a meditar sobre os diferentes passos de uma relação emocional: A ideia de amor que se transforma numa escapatória da realidade. O momento em que uma relação falha e a tentativa da sua reconstrução através das suas memórias.


As 47 imagens e os textos que compõem este projecto são o resultado da procura da existência do amor e a colecção de possíveis realidades.

 

Esta exposição conta com o apoio da Embaixada da Áustria em Lisboa.

 

Rua da ilha do principe 3A, pt.E

1170-182 Lisboa, Portugal

info@a-ilha.pt

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.