Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

exposição de Ildebranda Martins em Casa Mantero, 24 novembro, em -Sintra

Quando, em novembro de 2019, a Câmara Municipal de Sintra, me informou de que tinha agendado para o mesmo mês  mas do ano seguinte a minha exposição na Galeria Municipal da CASA MANTERO  fiquei muito animada pela cidade em si, património mundial,  pelo espaço expositivo, pelas jardins que o ladeiam, pelo edifício histórico onde está inserido, mas estava longe de pensar que o ano de 2021 seria tão diferente dos anteriores em termos sociais, culturais, de saúde pública. Devido à pandemia, ao confinamento, às limitações estabelecidas para a prática e o exercício da  cultura, aos meus próprios problemas familiares,  pensei em desistir, tal como já o tinha feito com outras  exposições  agendadas para este ano, em meses anteriores, mas  depois concluí que precisava de alguma normalidade, daquela de que, em tempos, ousei reclamar,  mas que agora me parecia  ser tão necessária e singular. Não haverá inauguração com beberete, será mais uma abertura ao público da exposição, que estará limitada, dentro da galeria,  a três  pessoas de cada vez de forma a garantir o distanciamento de 2 metros entre pessoas e em que a máscara é de uso obrigatório. 

IMG_20201104_164057.jpg

 

TEMA e TÍTULO: 

“A partida da singularidade da normalidade”:    

Nunca pensei em afirmar de que tenho saudades das rotinas de outrora, de um passado recente, de algumas ações associadas à monotonia, à repetição, à ausência de imprevistos. A noção de que a vida jamais será como dantes por causa da pandemia e de que há muitos conceitos que abriram definitivamente falência e práticas que perderam a sustentabilidade, instalou-se na minha consciência. 

 

LOCAL DA EXPOSIÇÃO:

GALERIA MUNICIPAL- CASA MANTERO

(Rua Gomes de Amorim, nº 12/14- 2710-569 Sintra)

 

Casa Mantero é um palacete localizado em Sintra, com origens no séc. século XIX, que foi construída ao Estilo Vitoriano, mas que posteriormente, em 2003, foi recuperado e “acoplado”, a um outro mais moderno. O complexo de 3.564 m2 acolhe, uma Biblioteca, um Museu, um Arquivo Municipal, uma galeria de arte e um jardim magnífico. Um local de excelência onde a arte se encontra com a natureza e se torna ideal para a aquisição de novos conhecimentos, aprendizagem e absorção de informação e criatividade.

Além de ser um lugar idílico que proporciona novas e diferentes novas formas de leitura presta serviços especiais para deficientes visuais e motores. A destacar também as boas práticas de poupança de energia que permitiu ao edifício receber um prémio europeu ("Greenlights”).

 

Período da exposição:

24 novembro de 2020 (17:00 h) a 09 de janeiro de 2021

 

 

BIOGRAFIA -  Ildebranda Martins:

 

Nasci em Angola, resido na Amadora e trabalho em Lisboa.A pulsação da minha vida artística, embora com mais de trinta anos de carreira, sofreu muitas oscilações e tem sido pautada por ritmos diferentes ao longo dos anos, conforme as minhas necessidades de reflexão e de partilha. Sou definitivamente uma  autodidata, com alguns anos de experiência, com alguma força de vontade para adquirir novos conhecimentos e evoluir, que gosta de experimentar novos materiais,   e que,  hoje em dia, além de artista,  é curadora “GALERIA BELTRÃO COELHO e autora dos coletivos “MULHERES COM ARTE”, “UNIVERSO AFRICANO”.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.