Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

exposição MANUEL COSTA CABRAL no Projecto Travessa da Ermida

image.png

 

A exposição minha solidão sente-se acompanhada de MANUEL COSTA CABRAL é apresentada pelo PROJECTO TRAVESSA DA ERMIDA. Com inauguração agendada para dia 7 de Junho, entre as 18:00h e as 21:00h, e patente até 13 de Julho, minha solidão sente-se acompanhada, título retirado de Yolanda, com letra e música de Pablo Milanés, reúne cinco obras de pintura sobre papel feitas nos anos ’90, no âmbito da residência em 1991 a convite do Art Institute of Chicago.

Simili Modo

 

têmpera de ovo sobre papel

 

100 x 130 cm

 

Lisboa, 1996

 

 

Nota biográfica de MANUEL COSTA CABRAL

 

Natural de Lisboa (1941). Formação em pintura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, 1963. Fundador e director executivo do Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual, de 1973 a 1994. Honorary Fellow do Royal College of Art, Londres, 1993. Director do Serviço de Belas-Artes da Fundação Calouste Gulbenkian, de 1994 a 2011. Organização de exposições e conferências desde 2015 em colaboração com a Fundação Carmona e Costa. Retomou a actividade de pintor em 1982 e participou em exposições individuais e colectivas desde 1989.

 

Exposições individuais: minha solidão sente-se acompanhada, Projecto Travessa da Ermida, Lisboa, em 2019; Ornato Deliberado, Galeria Diferença, Lisboa, em 1994; Pinturas Recentes, Fundação Casa de Mateus, Vila Real, e Galeria Diferença, Lisboa, em 1992; Pinturas 1987-1990, Centro Cultural de São Lourenço, Almancil, e Pinturas 1990, Galeria Giefarte, Lisboa, em 1991; e Pinturas 1984 -1989, Galeria Diferença, Lisboa, em 1989. Exposições colectivas: Curated Curators (1), Galeria Zaratan, Lisboa, em 2017; Mater Dei, Igreja Nossa Senhora da Conceição Velha, Lisboa, em 2016; Até as Árvores são Sonhos, Galeria Reverso, Lisboa, em 2013; O Sagrado na Arte, Mosteiro de São Vicente de Fora, Lisboa, em 2014; Arte Portuguesa Contemporânea, Palácio Galveias, Lisboa, em 1991; Galeria Ipso, Bruxelas, em 1990; Salão da Primavera, Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa, em 1963 e 1961.

 

 

 

Sobre o PROJECTO TRAVESSA DA ERMIDA

 

O Projecto Travessa da Ermida é um projecto de referência de natureza experimental orientado pela valorização do património histórico e pela dinamização do tecido artístico e cultural contemporâneos. Neste singular ponto de encontro, de intimidade e de dinamismo, as memórias do passado dialogam com variados domínios das artes contemporâneas, visando a sua penetração nos diversos públicos que o visitam e frequentam.

 

Com curadoria própria e/ou envolvimento em parcerias com outras estruturas de criação e programação artística, a actividade do Projecto Travessa da Ermida conta com a assinatura dos mais proeminentes artistas e autores nacionais, artistas nacionais das novas gerações e variados artistas internacionais.

 

Após longos anos de abandono, a Ermida de N. Srª. da Conceição, na Travessa do Marta Pinto, em Belém, assume-se desde 2008 enquanto âncora do projecto. 

 

 

Horário de Funcionamento

 

3ªfeira a sábado, das 14h00 às 18h00. Encerrado domingo, segunda-feira e feriados.

 

 

 

Localização:

 

Travessa do Marta Pinto, 21, 1300-390 Lisboa