Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição "Natura" de Rui Matos

RUI MATOS

Natura

descarregar (3).jpg

 

Inauguração: 14 setembro, das 18h às 20h
Exposição: de 15 a 28 setembro, de 2022 | Segunda a sábado, 14h30 - 19h
GALERIA SÁ DA COSTA | Rua Serpa Pinto, nº19, 1200-443 Lisboa


No próximo dia 14 de setembro, entre as 18h e as 20h, inaugura na Galeria Sá da Costa uma exposição individual de fotografia do escultor Rui Matos, intitulada Natura.
Rui Matos apresenta nesta exposição fotografias de grande formato de plantas que encontra no campo próximo do seu atelier, captando momentos efémeros do ciclo de vida de uma planta. São plantas vulgares fotografadas ao nível dos olhos que traduzem o olhar fotográfico de um escultor sobre a natureza. 
Sobre este seu projecto, afirma Rui Matos que quando o realizava recordava-se frequentemente “das fotografias de Karl Blossfeldt, também ele escultor, realizadas na transição do século XIX para o Século XX:”
A exposição Natura realiza-se em simultâneo com a exposição de escultura que Rui Matos apresenta na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa, intitulada A sequência dos dias, na qual mostra obras desde 1988 até ao presente.

 



Rui Matos

Nasce em Lisboa em 1959. Vive e trabalha próximo de Sintra.
Nos anos 80 frequentou o Curso de Escultura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa.
Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian em 1993.
Em 1987 realiza a primeira exposição individual “Órgãos e Artefactos” em Lisboa com esculturas em ardósia. Segue-se “Primeira Ilha” e “Mediterrâneo” no Porto com esculturas em gesso-bronze. A primeira exposição em pedra é de 1991 “Enormidade Sequência e Naufrágio” a que se segue “Transformações-Relatos Incertos”, “Objectos de Memória” e “Histórias Incompletas”. Em 2008 começa a trabalhar em ferro com as exposições “A Pele das Coisas” em Lisboa no Teatro Camões, “Transformo-me naquilo que toco “ na Giefarte , “Por Dentro” na Fundação das Comunicações, “O Visionário” com Rui Cunha Viana na Galeria Monumental em Lisboa, “ O tempo, os lugares, a memória, a fortuna dos dias” no MU.SA em Sintra,  “Transmutações” na Sá da Costa em Lisboa, “Histórias de outras Idades” no Convento do Espirito Santo em Loulé, “Perdido na viagem de regresso” Paços Galeria Municipal de Torres Vedras. “O luar da montanha suavemente ilumina o ladrão de flores” CAE Figueira da Foz. “As Figuras dos sonhos estão mais próximo de mim”. Espaço T no Porto. “Qualquer saída da lógica da linguagem pode ser a entrada num dicionário revelador” Livraria Sá da Costa-Espaço Camões em Lisboa. “Através da Superfície”. Fundação Luís em Cascais. “Fora de um mapa conhecido” no Colégio das Artes em Coimbra e “A reconstrução da memória” no Palácio da Galeria em Tavira.                                            
Realizou esculturas públicas em Chaves, Durbac (Alemanha), Aveiro, Lisboa, Cascais, Oeiras, Caldas da Rainha, Vila Franca de Xira, Alfândega da Fé, São Pedro do Sul, Belver, Portalegre, Almada, Seixal e Vila nova de Gaia.
Coleções: Caixa Geral de Depósitos, Museu Dr. Santos Rocha, Fundação PLMJ, Fundação Vítor e Graça Carmona e Costa. 

WEBSITE


Organizada pela Ocupart em parcelria com a Sá da Costa Arte a exposição Natura de Rui Matos, poderá ser visitada de 15 a 28 de setembro, na Galeria Sá da Costa, de segunda a sábado, das 14h30 às 19h, ou noutro horário mediante marcação prévia para geral@ocupart.pt ou a.sadacosta.mi@gmail.com.

GALERIA SÁ DA COSTA | Rua Serpa Pinto, 19, 1200-443, Lisboa, 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.