Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Festa do Jazz 2016 // Políticas e Estratégias Culturais em Discussão

6d0bc968-776d-4f57-80bd-7bca8978ec7f.jpg

 

FESTA DO JAZZ 2016 16 A 20 MARÇO
Políticas e estratégias culturais em discussão na Festa do Jazz 

Na Festa do Jazz 2016, nos dias 19 e 20 de Março, na Sala Principal do Teatro Municipal S. Luiz, um conjunto de musicólogos internacionais vão moderar duas mesas redondas sobre o jazz em Portugal e as políticas e estratégias culturais europeias. Esta iniciativa, inédita no nosso país, parte da colaboração entre o Instituto de Etnomusicologia (INET-md) da FCSH/Universidade Nova de Lisboa, a Universidade Lusíada e a Associação Sons da Lusofonia e tem o título de Ciclo de Conversas – Investigadores em Residência. A Festa do Jazz e a Sons da Lusofonia continuam assim a explorar os vários caminhos do Jazz em Portugal através de parcerias cada vez mais abrangentes de forma a tornar visível e activa a comunidade artística, neste caso na área da música improvisada.   Os investigadores em jazz studies José Dias (U. Nova de Lisboa), Ricardo Pinheiro (U. Lusíada), Tony Whyton (Birmingham City University), Haftor Medbøe (Edinburgh Napier University), Pedro Cravinho e Luís Figueiredo (U. Aveiro) congregam os agentes de jazz em Portugal – músicos, professores, promotores, editoras e jornalistas – para uma reflexão conjunta sobre o recente crescimento do jazz no nosso país e a sua emergência no panorama internacional. O projecto pretende alertar para a necessidade de uma maior cooperação entre quem faz, promove, divulga, investiga e estuda jazz e visa promover formas de contextualizar e desenvolver um maior trabalho colaborativo.   Ambas as sessões serão realizadas no palco da Sala Principal do S. Luiz, entre as 17h e as 18h30, com a intenção de destacar quem faz o jazz português acontecer ao nível nacional e internacional aproveitando a fértil experiência de 14 anos da Festa do Jazz. No dia 19 estará em destaque o ensino do jazz, que tem verificado um crescimento exponencial nos últimos dez anos em Portugal. Desde 2005 que nasceram quatro cursos superiores em jazz, dois institutos universitários com investigadores na área e cerca de duas dezenas de cursos de jazz em escolas de música pelo país. No dia 20 a temática centrar-se-á na promoção, identidade e trabalho em rede do jazz Português. Nesta segunda sessão estarão em destaque as plataformas de jazz portuguesas – Clean Feed (Lisboa), Sintoma Records (Lisboa), PortaJazz (Porto), Jazz Ao Centro Clube (Coimbra) e a recém formada JazzAqui (para a internacionalização do jazz português).

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.