Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Festival de Percussão e Bateria de Lavra realiza 11ª edição

 4 e 5 de maio no Auditório Mário Rodrigues Pereira

image001.jpg

 

À semelhança dos anos anteriores, o cartaz da 11ª edição integra nomes nacionais e internacionais de grande referência do panorama musical, com o objetivo de divulgar e promover diferentes perspetivas e abordagens da bateria e percussão, bem como o estudo destes instrumentos.

No dia 4 de maio, o cartaz do Festival destaca a iniciativa New Kids on Drums, em que a Escola de Música de Lavra convida outras escolas a participar no festival, apresentando cada uma, um aluno de bateria, com idade até aos 18 anos.

Miguel Casais é um dos cabeças de cartaz para o primeiro dia de Festival. O baterista português começou a tocar bateria aos 12 anos, tendo estudado com alguns bateristas de topo nacionais e internacionais, entre os quais se destacam Nikkie Glaspie, Joel Rosenblatt ou Michael Lauren. No domingo, 5 de maio pelas 11h30 decorre uma masterclass com Miguel Casais onde serão abordados vários temas como, dicas para um baterista freelancer e exercícios lineares entre outros. A masterclass possui um número limitado de vagas.

Mas a bateria também se toca no feminino, sendo Emmanuelle Caplette a figura feminina de destaque mundial da 11ª edição do Festival de Percussão e Bateria de Lavra. A canadense que marcará presença no evento a 4 de maio, começou a tocar com 9 anos nos Drum Corps. Em 2008 chamou a atenção do produtor Guy Tourville que lhe deu a oportunidade de gravar os seus primeiros singles na rádio, “Une fois pour toutes” de Chantal Toupin e “Tu ne m’aimeras plus” de Cindy Daniel e o álbum “Broco show”.

No cartaz do dia 4 de maio está também previsto um workshop dos Paris Monster, banda constituída por Josh Dion (bateria, voz e sintetizador) e Geoff Kraly (baixo, sintetizado modular). Josh Dion cresceu entre a sonoridade do rock clássico. A forma como cruza a filosofia de vida e a bateria é um reflexo do tempo dedicado ao instrumento e alguma influência familiar: «Ao crescer, sempre soube que era isto que queria fazer. O meu pai é baterista e cresci rodeado por baterias e sem qualquer pressão para ser muito bom ou algo assim. Apenas tocar».

Assim e ao longo de um fim-de-semana, o 11º Festival de Percussão e Bateria de Lavra como tem sido hábito ao longo dos últimos 10 anos irá promover diferentes perspetivas e abordagens do instrumento, através de iniciativas tais como demonstrações práticas, workshops e masterclasses, privilegiando a interação com o público presente. Destaca-se ainda a apresentação de várias novidades no mundo dos instrumentos musicais e o sorteio de vários prémios pelo público presente. 

De acordo com Francisco Lima, músico e coordenador do Festival de Percussão e Bateria de Lavra, «este evento tem como objetivo proporcionar a abordagem de vários estilos de música e a sua interligação com a bateria, estimulando assim a criatividade e fazendo com que a bateria e os instrumentos de percussão sejam capazes de passar uma mensagem artística», explica.

O Festival tem como destinatários alunos da Escola de Música de Lavra, alunos de bateria e percussão em geral, músicos e entusiastas destes instrumentos e apreciadores do mundo das artes. Com entrada livre os interessados em participar no Festival de Percussão e Bateria de Lavra poderão saber mais no site, Facebook e Instagram do evento.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.