Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

FEVEREIRO: HÁ MAIS DOMINGOS DE JAZZ GRATUITO NO FERROVIÁRIO

Diogo Vida, André Santos, Marco Branco, Francisco Brito e Akiko Pavolka Band lideram as sessões de jazz gratuitas de fevereiro. Pedro Branco e João Sousa asseguram as novas Jam Sessions no Terraço. Todos os domingos, a partir das 18h, entrada gratuita.

image003.jpg

 

“Em poucos meses, os domingos de jazz no Ferroviário tornaram-se não apenas num dos mais relevantes símbolos da oferta cultural do espaço, como ganharam um lugar incontornável no cardápio de eventos da cidade. A curadoria de João Lencastre trouxe, e vai continuar a trazer, uma programação jazzística diversa, formada por músicos de primeira água, consagrados e reconhecidos, mas também grandes revelações, bem ao estilo Ferroviário. O êxito das matines obriga-nos a dar mais. E assim, depois dos concertos na sala TGV, o jazz continuará livre e improvisado no nosso Terraço, agora coberto para o inverno, com jams em que todo o esplendor criativo desta linguagem será praticado sem outras restrições que não a das próprias ideias. Em fevereiro, o guitarrista Pedro Branco e o baterista João Sousa serão os condutores da locomotiva. Músicos que amam a liberdade como o jazz.”, Davide Pinheiro, responsável da programação Ferroviário.

Diogo Vida “Organograma” | Domingo, 10 de fevereiro | 18h às 20h

Organograma é um projeto que reúne três músicos que partilham uma admiração pelo órgão Hammond b3 e pela música ligada a este instrumento fabuloso. Os seus elementos, músicos de jazz bem conhecidos no panorama nacional, encontram-se neste grupo para dar vida às suas composições originais dentro do contexto instrumental deste trio e para prestar homenagem aos organistas célebres da História do Jazz, clássicos e modernos, visitando assim composições emblemáticas ou imortalizadas por Jimmy Smith, Larry Young, Big Joe Patton, entre outros.

Diogo Vida: órgão hammond

Vasco Agostinho:  guitarra

Luis Candeias: bateria

 

André Santos/Marco Franco/Francisco Brito | Domingo, 17 de fevereiro | 18h às 20h


O guitarrista André Santos convida os seus companheiros Marco Franco e Francisco Brito para juntos celebrarem o poder do imprevisto.

André Santos: guitarra

Marco Franco: bateria

Francisco Brito: contrabaixo

 

Akiko Pavolka Band | Domingo, 24 de fevereiro | 18h às 20h

 

A pianista e compositora Akiko Pavolka, de Nova York, retorna a Portugal para partilhar músicas do seu último lançamento “Late Parade”, no qual explora a mortalidade (humana e felina), a nostalgia, a amizade e a importância da pizza de cebola branca, entre muitas outras coisas. Akiko Pavolka faz-se acompanhar do seu marido, o baixista Matt Pavolka e o colaborador de longa data e amigo Andre Fernandes, além de João Pereira na bateria.

Akiko Pavolka: piano, voz

André Fernandes: guitarra

Matt Pavolka: baixo

João Pereira: bateria

 

Jam Sessions | Pedro Branco e João Sousa | Terraço Ferroviário

Todos os domingos das 20h às 22h

 

Licenciado com bolsa de mérito na Universidade Lusíada de Lisboa e no Conservatorium van Amsterdam, onde está neste momento a terminar o mestrado, Pedro Branco toca nos mais variados projetos nacionais e internacionais. Em 2013 recebe uma menção honrosa durante a “Festa do Jazz São Luiz” para “Melhor Instrumentista” (onde atua mais tarde em nome próprio com o seu trio com Demian Cabaud e Marcos Cavaleiro e também no ensemble liderado por Jacob Sacks), e em 2016 chega à final da competição “Keep an Eye The Records” com o quarteto de Michele Tino. Já em 2018 participa no ensemble vencedor liderado pela cantora Annelie Koning da competição “Grachtenfestival Dichter bij de Muziek”. Partilhou o palco quer como sideman quer como líder com músicos tão distintos como Afonso Pais, André Fernandes, André Matos, Mário Delgado, Demian Cabaud, Marcos Cavaleiro, Desidério Lázaro ou João Paulo Esteves da Silva e conta já com uma extensa discografia como colíder de projetos, dos quais fazem parte Oh! Calcutta! - “The Greatest Story Ever Told”, João Hasselberg & Pedro Branco “Dancing our way To Death” (Ed. Autor) e “From Order to Chaos” (Clean Feed), Eel Slap! “Vol.I” (Flea Boy Records) e Branco | Moniz | Custódio “Reencontro” (Sintoma Records). O projeto João Hasselberg & Pedro Branco foi muito bem-recebido pela crítica nacional, recebendo 5 estrelas no Jornal Público, lista de melhores discos do ano de 2016 pela Jazz.pt e participação em festivais tão importantes como o Portalegre Jazz Fest, tendo já atuações marcadas para 2019. Também para 2019 está agendado o disco de estreia do seu novo projeto Old Mountain em parceria com João Sousa e que já contou com convidados tão diversos como Gonçalo Marques, Demian Cabaud, André Rosinha, Nelson Cascais, Nicolò Ricci e George Dumitriu. Paralelamente é membro ativo de projetos de música original tal como “A Viagem de Laniakeia”, o projeto de estreia do trompetista Diogo Duque, bem como trabalhos pontuais como sideman e um trabalho ativo na net label Flea Boy Records, coletivo formado em Amesterdão que procura promover de uma forma independente os trabalhos pessoais que vão saindo dos membros do grupo. Em 2018 recebe o prémio Músico Revelação do Ano atribuído pela RTP/Festa do Jazz.

João Sousa, baterista, compositor e pedagogo, nasceu a 25 de novembro de 1990 em Faro. Formou-se em Jazz e música moderna pela Universidade Lusíada de Lisboa. Em 2014 inicia o mestrado em Jazz performance - instrumento principal bateria, Royal Conservatory of The Hague onde estuda com o reconhecido mestre holandês Erik Ineke. De 2014 a 2017 tocou pela Holanda com os saxofonistas Ben van den Duncan, Simon Rigter, o pianista belga Johan clement e gravou dois discos enquanto sideman, "so far", Gottfried di Franco quintet editado em 2018 e "It's time", Vivienne chuliao trio editado em 2017. Fundador de Old Mountain, grupo que co-lidera com o guitarrista Pedro Branco. Este projeto surge em 2016 e desde então iniciam colaborações com diferentes músicos, George Dumitriu, Demian Cabaud, Gonçalo Marques, Nicóló Ricci, José Soares, Felicia Erlenburg, João Hasselberg, Alessandro Fongaro, Mauro Cottone Nelson Cascais, são alguns exemplos destas colaborações. João Sousa teve também a oportunidade de apresentar a sua música em diferentes espaços, teatros, festivais, clubes em países como Portugal, Holanda, Bélgica, Alemanha, Roménia, Áustria e República Checa. Em 2017, conclui o mestrado e volta a Lisboa, cidade onde permanece e dá continuidade à sua exploração e pesquisa artística. Em 2018, íntegra o grupo escolhido para a residência artística liderada pelo trompetista Gabrielle Mitelli uma parceria entre a Fundação Árpád Szenes Vieira da Silva e o Instituto Italiano da cultura em Lisboa. No decorrer deste ano editará em nome de Old Mountain dois discos já gravados em 2017 e 2018 em Amesterdão. O primeiro em trio e o segundo em quinteto. 

Sobre o Ferroviário

Nasceu oficialmente em 1961, para receber um conjunto de atividades culturais, desportivas e recreativas dos funcionários da CP, mas foi em 2010 que se sagrou como bar/terraço e palco de uma das melhores vistas de Lisboa. Depois de dois anos fechado ao público, o FERROVIÁRIO é agora devolvido aos lisboetas com nova gerência, nova decoração, nova programação e nova carta. O renovado espaço, composto dois palcos independentes, terraço ao ar livre com 500m2, bar e sala de espetáculos, será palco de uma nova programação onde se destacam talentos emergentes da cidade, de áreas tão variadas como a música ou o cinema, passando pela fotografia, a pintura, as artes plásticas, a gastronomia, e outros.

HORÁRIOS FERROVIÁRIO

Sexta-feira - 18:00 às 03:00

Sábado - 16:00 às 03:00

Domingo - 16:00 às 00:00

 

MORADA

Rua de Santa Apolónia, 59 – LISBOA

#ferroviariobarterraco

INSTAGRAM

FACEBOOK

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.