Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Fundação Amélia de Mello atribui Prémios Alfredo da Silva

image001 (1).jpg

A Fundação Amélia de Mello (FAM), no contexto das comemorações dos 150 anos do nascimento de Alfredo da Silva, passou a lançar anualmente os PRÉMIOS de INVESTIGAÇÂO ALFREDO DA SILVA como apoio aos investigadores que desenvolvem o seu trabalho em Portugal.

 

Na Edição de 2022 o vencedor do Prémio “Alfredo da Silva e o Empreendedorismo” foi o Prof. Diogo Alexandrino, do CIIMAR e líder da equipa, com o projeto “XENOHYBRID – Tecnologia híbrida de tratamento de águas para a mitigação de poluição causada por contaminantes emergentes”.

 

Já o Prémio “Inovação Tecnológica, Mobilidade e Indústria” foi conquistado pelo Prof. Miguel Neves (do i3S), líder da equipa, com o projeto “MSense – a miniaturized biosensor technology for personalized diagnostics and monitoring of multiple sclerosis”.

 

Por sua vez, o vencedor do Prémio “Sustentabilidade dos Sistemas de Saúde” foi o Prof. João Filipe Raposo, da APDP – Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal, líder da equipa com o projeto “Empowerment in Diabetic Foot Ulcer”.

 

O evento, que contou com a presença Secretário de Estado do Ensino Superior, Pedro Nuno Teixeira, em representação da Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, foi ainda marcado pelas intervenções de Vasco de Mello, presidente da Fundação Amélia de Mello e dos Presidentes do Júri das candidaturas de cada área, Professor Daniel Bessa, pelo BCSD Portugal, Professor João Falcão e Cunha, pela COTEC Portugal, e Professor José Fragata, pela Universidade Nova de Lisboa, parceiros convidados desta iniciativa.

 

Na cerimónia, o Secretário de Estado do Ensino Superior, Pedro Nuno Teixeira, salientou a importância da figura de Alfredo da Silva, por “ter sido um empreendedor inovador que valorizava a criação de riqueza a par da coesão social. Alfredo da Silva provou que não existe criação de riqueza sem coesão social, e não existe coesão social sem criação de riqueza Alfredo da Silva”.

 

Por seu lado, Vasco de Mello lembrou também o industrial desejando que “os projetos de investigação científica agora apoiados sejam fonte de inspiração para todos os que acreditam que o legado que representamos e projetamos nos motivam todos a concretizar, citando Alfredo da Silva, os objetivos de um Futuro “Mais e Melhor”.

 

Recorde-se que esta iniciativa promove a investigação portuguesa, tendo por objetivo distinguir e apoiar a realização de projetos de investigação científica avançada. Os Projetos vencedores receberam o montante de 25.000 € (Vinte e cinco mil euros) cada.

 

Os três concursos envolveram projetos em três domínios:

  • Alfredo da Silva e o empreendedorismo – Parceiro BCSD
  • Inovação tecnológica, mobilidade e indústria – Parceiro COTEC
  • Sustentabilidade dos sistemas de saúde – Parceiro UNL

 

Os destinatários destes PRÉMIOS são investigadores, integrados ou não nas universidades e institutos politécnicos do país, que concorreram com projetos cujos temas das áreas poderiam incidir sobre o passado, sobre a história desses domínios, sobre os desafios que se colocam ao seu desenvolvimento e ainda às condições humanas e sociais em que ocorreram e devem vir a desenvolver-se.