Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Gelo em exibição em Abril nos cinemas do Dolce Vita Ovar e em sessão especial única no Teatro Aveirense

Gelo em exibição em Abril nos cinemas do Dolce Vita Ovar e em sessão especial única no Teatro Aveirense

 

A longa-metragem Gelo, realizada por Luís Galvão Teles e Gonçalo Galvão Teles, estará em exibição durante uma semana nos cinemas do Dolce Vita Ovar a partir do dia 31 de março, a que se seguirá uma sessão especial única do filme no Teatro Aveirense no dia 12 e abril às 21:30h.

O filme estreou a nível nacional no início de Março, mas antes abriu o Fantasporto, onde esteve também na competição internacional. Foi ainda um dos 15 filmes selecionados para integrar a Official Narrative Feature Competition, a principal competição do prestigiado festival norte-americano Cinequest, estando também selecionado para o Chicago Latino Film Festival, nos EUA.

Gelo desenvolve-se numa narrativa envolvente e inesperada, na qual as vidas de duas mulheres se cruzam nas histórias uma da outra. É um filme raro no panorama cinematográfico português, que une o romance e o fantástico e leva o espectador a questionar-se sobre quantas vidas há numa vida.

Protagonizado pela atriz espanhola Ivana Baquero (O Labirinto do Fauno, de Guillermo del Toro, e As Crónicas de Shannara, série produzida pela MTV que estreou com grande sucesso em Janeiro deste ano no canal MOV), o filme conta ainda com um sólido elenco de atores portugueses, como Afonso Pimentel, Albano Jerónimo, Ivo Canelas, Inês Castel-Branco, Carlos Santos, João Jesus e Beatriz Leonardo.

Para Luís Galvão Teles “Gelo é um filme que vai para além da realidade e da imaginação e que mergulha num mundo onde o tempo, a vida, o amor e a morte fundam e orquestram a Humanidade. Gostávamos que o maior número possível de pessoas tivesse a possibilidade de ver o filme, por isso fazemos questão de o levar a várias salas de cinema, espalhadas um pouco por todo o país.”

A produção de Gelo esteve a cargo da Fado Filmes, também de Luís e Gonçalo Galvão Teles. Com quase 20 anos de existência, é uma das mais antigas e activas produtoras de cinema em Portugal, tendo produzido filmes como Elas, Jaime, Nha Fala, Dot.com, Fados ou O Grande Circo Místico.