Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Grândola » Colóquio: 50 anos da Crise Académica de Coimbra e movimentos estudantis

 

O Município de Grândola irá dedicar, no dia 14 de Abril às 16h, no Cineteatro Grandolense, um colóquio-debate à Crise Académica de Coimbra e aos movimentos estudantis, em contexto ditatorial e em democracia, com as participações de Albano Nunes, antigo dirigente estudantil, e de Rui Pato e Octávio Alexandrino, estudantes em Coimbra aquando da crise.

 

Há 50 anos, em 17 de Abril de 1969, na inauguração do Departamento de Matemática da Universidade de Coimbra, com as presenças do Presidente da República e do Ministro da Educação, quando a palavra foi negada a Alberto Martins, Presidente da Direcção Geral da Associação Académica, eclodiu a crise académica em Coimbra, à semelhança do que acontecera em Março de 62, quando a polícia de choque atacou com violência estudantes que manifestavam em Lisboa. Os estudantes fizeram greve e cerca de 87% faltou aos exames, o Ministro da Educação e o Reitor demitiram-se, Coimbra foi ocupada por forças da polícia e do exército, vários dirigentes académicos foram presos e outros tantos estudantes foram forçados a ir combater na Guerra do Ultramar. «Abril antes de Abril», assim designou Rui Namorado a crise universitária de Coimbra em 69, confirmando que, embora nesse ano “a briosa” tenha perdido a final da taça de futebol para o Benfica, os estudantes venceram.

O Colóquio integra o programa das Comemorações dos 45 anos do 25 de Abril que vão decorrer ao longo de todo o mês, reafirmando a ligação da Grândola Vila Morena aos valores essenciais da liberdade, da democracia e da fraternidade.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.