Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Grupo Águas de Portugal acolhe ciclo de encontros participativos dedicados à temática da Água

Na próxima segunda-feira, dia 9 de abril, às 19h00, o Grupo Águas de Portugal recebe, na sua sede, em Lisboa, o primeiro de três encontros participativos dedicados à temática da água. O objetivo desta reunião é apresentar e discutir projetos, de âmbito nacional e regional, que possam integrar o próximo Orçamento Participativo Portugal (OPP).

 

O Grupo Águas de Portugal, a convite da Secretaria de Estado para a Modernização Administrativa, vai acolher, na próxima segunda-feira, dia 9 de abril, às 19h00, o primeiro de três encontros participativos, do OPP, dedicados à temática da Água.  Esta primeira reunião, que decorrerá no Auditório do Edifício Sede Águas de Portugal, em Lisboa, pretende promover uma troca de ideias, o debate e a discussão de projetos, bem como uma participação ativa no próximo Orçamento Participativo Portugal.

 

Qualquer cidadão português, com idade igual ou superior a 18 anos, está convidado a participar neste encontro e, mais tarde, a votar nos seus projetos preferidos.

 

Pensar no que é que se deve mudar e como, de forma a que se faça um uso cada vez mais inteligente e responsável da água, é também o objetivo dos próximos encontros deste ciclo dedicado à água: a 12 de abril, na sede da empresa Águas do Norte, em Vila Real, e a 24 do mesmo mês, em Faro, numa sessão acolhida pela Águas do Algarve.

 

De realçar que o OPP é um processo democrático através do qual as pessoas têm a oportunidade de apresentar propostas de investimento que, mais tarde, serão votadas e, caso vençam, implementadas em diferentes áreas de governação. Este ano, as propostas podem ser apresentadas até ao dia 24 de abril, no portal do OPP ou nos encontros participativos, que decorrem em diferentes locais do país. A votação decorre mais tarde, entre os dias 11 de junho e 30 de setembro. De sublinhar ainda que, para este ano, os portugueses têm a possibilidade de decidir como investir 5 milhões de euros em projetos de âmbito nacional e regional.