Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Grutera apresenta "Sur lie" em Setúbal e Coimbra / Festival Círculo de Jazz de Setúbal e Casa das Artes de Coimbra

GRUTERA APRESENTA "SUR LIE" 
EM SETÚBAL E COIMBRA

540px_e569fbbaed01df745406.jpg

 



Sábado, 30 Janeiro, 21h30  - Festival Círculo de Jazz de Setúbal
Domingo, 31 Janeiro, 18h00 - Casa das Artes de Coimbra 

De "Sur lie" e de Grutera já muito se escreveu. O terceiro disco de Grutera foi editado em Novembro de 2015 e é certamente um dos mais bonitos discos com selo do ano passado. 

"É um intuitivo. Alguém que explora o som da guitarra acústica de forma pouco convencional, quase performativa dir-se-ia, como se não utilizasse apenas os dedos, mas todo o seu corpo, como se a guitarra e o espaço envolvente jorrassem comunicação ao mesmo tempo."
Vitor Belanciano in Público

 

“Sur lie” é o sucessor de “Palavras Gastas” (2013) e “O Passado Volta Sempre” (2014) e saiu para o mundo a 1 de Novembro de 2015, com edição CulturaFnac e apoio do Guitarras ao Alto e do Esporão.
Depois de um primeiro disco na segurança do estúdio e de um segundo abençoado num mosteiro, o músico instalou-se com a sua guitarra no Túnel das Barricas da Herdade do Esporão para gravar o terceiro álbum, inspirado pela arte vinícola e pela planície alentejana.
A opção pelo Esporão foi natural. O Túnel das Barricas, onde nunca antes se tinha gravado um disco, é um espaço mágico, ou, como diz Grutera, “cada segundo é mais intenso aqui”. Uma intensidade que encontrou paralelo na vontade do Esporão em apostar em ideias diferenciadoras e de fazer da sua Herdade um ponto de encontro único entre cultura e enoturismo. Assim, na madrugada de 27 para 28 de Junho, a doze metros de profundidade, a guitarra de Grutera absorveu a textura e o aroma da adega e fez eco pelo Alentejo fora.
Para a história fica “Sur lie”.

 

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.