Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

'HHY & The Macumbas' no CIAJG e 'Do Avesso' CCVF integram 9ª edição do Guimarães noc noc (5 e 6 outubro)

f5d9615cf59f87692451.jpg

 

No fim de semana em que decorre a 9ª edição do Guimarães noc noc, o Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG) propõe a atuação de HHY & The Macumbas na sua Black Box (5 outubro, 21h30) e o Centro Cultural Vila Flor (CCVF) abre as suas portas para uma visita performativa em que o público explora este espaço Do Avesso (6 outubro, 17h00), investigando o que se esconde atrás do que está por trás – o que não se vê, o que não está em cena. Ambas as iniciativas têm entrada livre, estando integradas no programa do Guimarães noc noc, mostra artística informal organizada pela Associação Cultural Ó da Casa!, que se dedica à promoção das artes e artistas desenvolvendo projetos no âmbito cultural. 

 

Este sábado, 5 de outubro, às 21h30, a Black Box do CIAJG recebe o concerto do coletivo HHY & The Macumbas. Há uma década Jonathan Uliel Saldanha, artista multifacetado e que integra o elenco de “Geometria Sónica”, exposição que está patente no CIAJG desde junho, criou um coletivo musical, que integra nomes fundamentais da cena experimental do Porto, como João Pais Filipe, André Rocha, Frankão, Filipe Silva e Brendan Hemsworth. A intenção era criar um laboratório para o desenvolvimento de uma linguagem sincrética a partir de música periférica, a que chamou HHY & The Macumbas. Ao segundo álbum, “Beheaded Totem”, lançado no final do ano passado, confirmam-se como uma das grandes potências de criadores nacionais. No concerto deste sábado em Guimarães, a receita promete misturar percussão, eletrónica, sopros e bateria, em conjunto com uma teatralidade e um jogo com o espaço dos sons, a juntar à variedade e conjunção rítmica e tímbrica da acústica com a eletrónica. 

 

No domingo, às 17h00, a magia começa fora do palco com Do Avesso, da autoria de Manuela Ferreira.  Nesta visita encenada – que é também um espetáculo – aos lugares secretos do Centro Cultural Vila Flor faz-se o percurso inverso que por norma fazemos quando chegamos ao teatro. Em Do Avesso, o público investiga o que se esconde atrás do que está por trás – o que não se vê, o que não está em cena. Acompanhados por um grupo inusitado, descobrem-se armazéns, elevadores e outras passagens (quase) secretas, que abrigam memórias e preservam saberes das pessoas que preenchem o quotidiano de uma sala de espetáculos. Os bastidores do CCVF são assim o cenário e a inspiração para esta visita especial que mostra um lado deste centro cultural (habitualmente reservado aos artistas e profissionais do teatro) raramente visto pelo público.   

 

Do Avesso foi o projeto vencedor da 1ª Bolsa do Gangue de Guimarães (artistas de artes performativas cartografados pelo Teatro Oficina que são provenientes de Guimarães ou com íntima relação com este território, encontrando-se espalhados pela cidade, pelo país e pelo mundo). Entre os elementos que constituem este projeto encontramos Manuela Ferreira, responsável pela encenação e dramaturgia, Mário Alberto Pereira, Rita Morais e Tiago Porteiro, no papel de intérpretes, sendo o texto da autoria de Ana Arqueiro. 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.