Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

HISTÓRIA recorda uma das corridas mais emocionantes da História com a estreia, em exclusivo, de II GUERRA MUNDIAL: ATÉ À VITÓRIA

Às quartas-feiras 2, 9 e 16 de setembro, a partir das 22h15

 

HISTÓRIA recorda uma das corridas mais emocionantes da História com a estreia, em exclusivo, de II GUERRA MUNDIAL: ATÉ À VITÓRIA

 

GettyImages-142624740.jpg

 

  • Série documental, assinala o 75º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial e retrata em profundidade, ao longo de seis episódios, a corrida à vitória final e a supremacia pós-guerra, culminando com o Dia da Vitória na Europa, a 8 de maio de 1945.

 

  • Esta nova série marcante incide nas batalhas pessoais entre os líderes de guerra Winston Churchill, Franklin D. Roosevelt e Joseph Stalin, e traz a luz às batalhas de bastidores travadas entre esses homens - a guerra por trás da guerra.

 

Por ocasião do 75º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial, o canal HISTÓRIA estreia nas quartas-feiras, 2, 9 e 16 de setembro, a partir das 22h15, série documental II GUERRA MUNDIAL: ATÉ À VITÓRIA, em episódio duplo, recordando uma das corridas mais emocionantes da História.

Esta série documental, ao longo de seis episódios, analisa cronologicamente como e porquê a aliança central entre a Grã-Bretanha, os Estados Unidos e a União Soviética foi formada, conduzindo à Segunda Guerra Mundial, retratando em profundidade a corrida à vitória final e a supremacia pós-guerra, culminando com o Dia da Vitória na Europa, a 8 de maio de 1945.

II GUERRA MUNDIAL: ATÉ À VITÓRIA incide nas batalhas pessoais entre os líderes de guerra Winston Churchill, Franklin D. Roosevelt e Joseph Stalin, e traz a luz às batalhas de bastidores travadas entre esses homens - a guerra por trás da guerra. O trio manobrou e lutou para exercer a sua vontade uns sobre os outros, para vencer o conflito nos seus termos e impor as suas ideologias concorrentes sobre o que restava da Europa.

Esta relação entre os três líderes foi, apesar da sua oposição aliada à Alemanha nazi de Adolf Hitler, marcada desde o início pelo engano, suspeita e desconfiança. A Segunda Guerra Mundial e as suas consequências foram moldadas longe dos campos de batalha, à porta fechada, por um pequeno número de homens que poderiam igualmente ter sido inimigos com base nas suas ideologias e crenças conflituosas.

 

A série centra-se nos momentos e locais críticos em que a Segunda Guerra Mundial foi ganha e perdida. Não foi apenas uma corrida para derrotar as potências fascistas do Eixo, mas também para ganhar território, criar alianças e ganhar o direito de moldar o mundo do pós-guerra.

Cada episódio começa com um momento decisivo na guerra – por vezes uma grande vitória, como El Alamein  e Estalinegrado, por vezes um momento de horror ou vergonha, como o ataque a Pearl Harbor ou o massacre em Katyn - depois um retrocesso para explorar: quem conspirava? quem estava a apunhalar pelas costas? quem estava a fazer concessões? como foi a transferência de poder entre os Três Grandes Líderes? Além disso, as entrevistas com historiadores e militares e figuras políticas da atualidade dão à série uma relevância contemporânea.

EPISÓDIOS:

 

Perigo Mortal

2 de setembro, pelas 22h15

 

8 de maio de 1945. Um pouco por todo o mundo, celebra-se o fim da guerra no Velho Continente. É o Dia da Vitória na Europa. Mas o caminho foi longo e custoso para lá chegar... e o conflito continua no Pacífico. Em 1938, o primeiro-ministro britânico, Neville Chamberlain, estava determinado a manter a paz na Europa. Assinando o Pacto de Munique com Adolfo Hitler, acreditava poder evitar a guerra com a Alemanha, e conseguir a “paz no nosso tempo”. Contudo, a paz que Chamberlain julgava ter garantido, desfez-se com a invasão de Hitler à Polónia, a 1 de setembro de 1939. Durante os oito meses seguintes, os Nazis continuaram a anexar a Europa; Noruega, Países Baixos, Bélgica e França caíram nas mãos de Hitler.

 

Uma Aliança Profana

2 de setembro, pelas 23h00

7h48, 7 de dezembro de 1941. A base naval norte-americana de Pearl Harbor, no Havai, é atacada por 350 aviões japoneses que afundam quatro couraçados – metade da frota dos EUA. Em apenas duas horas, destroem também 188 aviões e matam mais de dois mil norte-americanos. A maior parte do povo dos EUA não queria ver-se envolvido noutra guerra mundial. Roosevelt vencera uma terceira campanha presidencial em 1940, prometendo que “os nossos jovens não serão enviados para mais guerras externas”. Ao longo de 1940 e 1941, Roosevelt e Churchill trabalharam em prol de uma vitória sobre a Alemanha nazi, mantendo a neutralidade dos EUA.

Vitória a Qualquer Custo

9 de setembro, pelas 22h15

A 13 de abril de 1943, são descobertas pelas forças alemãs valas comuns cheias de cadáveres de mais de quatro mil oficiais polacos. Sabemos hoje que não foram vítimas do Holocausto de Hitler, mas prova da brutal tomada da Polónia pela União Soviética, em 1939. Porém, Estaline negou qualquer envolvimento, acusando os Nazis de o terem feito. A URSS sofria a maior força do ataque alemão a leste. O Cerco a Leninegrado levava centenas de milhares russos a morrer à fome, e durou quase 900 dias, enquanto os bombardeamentos nazis à cidade continuavam.

Encontro em Teerão

9 de setembro, pelas 23h

 

Teerão, 29 de novembro de 1943. Os “Três Grandes” reúnem-se pela primeira vez. Os três líderes parecem apoiar-se mutuamente, mas também têm os seus próprios interesses. Como irão trabalhar juntos nesta conferência histórica? Depois da derrota de Hitler na Batalha de Estalinegrado, em julho de 1943, o líder nazi avançou com a Operação Cidadela, que resultaria na Batalha de Kursk. A 5 de julho de 1943, começava um dos maiores confrontos de tanques da História. Apesar de um início bem-sucedido, os Alemães tiveram dificuldade em derrubar o infindável número de tropas soviéticas.

 

 

Dia D e seguintes

16 de setembro, pelas 22h15

 

6 de junho de 1944, Dia-D. Mais de 156 mil soldados britânicos, norte-americanos e canadianos atravessam o Canal da Mancha, na maior invasão por via marítima alguma vez tentada.

Após anos de pressão por parte de Estaline, Churchill concorda finalmente em abrir uma segunda frente na Europa e enviar tropas aliadas para libertar a França ocupada.

Daí, avançam em direção à Alemanha e, com o Exército Vermelho a avançar de leste, acabam por derrubar o império fascista de Hitler.

Ainda assim, apenas três meses depois, o otimismo dos “Três Grandes” transforma-se em desespero, com a tentativa dos Aliados de avançar o mais depressa possível a encontrar um obstáculo. Como acabou em tal fiasco a operação que prometia pôr fim à guerra até ao Natal?

 

Corrida Até Berlim

16 de setembro, pelas 23h

É fevereiro de 1945, e os Aliados quase sentem o cheiro da vitória. Concordam reunir-se para decidir como será o futuro quando a guerra terminar. Os “Três Grandes” encontram-se cara a cara pela segunda – e última – vez, na vila costeira de Ialta.

Estaline estava em evidente vantagem. O seu Exército Vermelho estava a apenas 80 km de Berlim. Estava bem posicionado para vencer política e militarmente Churchill e Roosevelt, que estava muito doente. Acordaram que, após a derrota da Alemanha, o país seria dividido em quatro zonas ocupadas – controladas pelas forças dos EUA, da Grã-Bretanha, da França e da URSS. Mas Estaline anunciou também que o seu país não devolveria o território da Polónia, que anexara em 1939, nem atenderia às exigências do Governo polaco exilado em Londres. Concedeu ajudar os Aliados na guerra contra o Japão, mas só durante dois a três meses após a rendição da Alemanha. Churchill e Roosevelt viram-se obrigados a aceitar.