Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

I DANCE BECAUSE I LOVE - Helena de Medeiros INAUGURAÇÃO | 22 DE FEVEREIRO 2018 - 19H00 | Fábrica do Braço de Prata - Sala Michel Foucault

INAUGURAÇÃO | 22 DE FEVEREIRO 2018 - 19H00 | Fábrica do Braço de Prata -  Sala Michel Foucault

pastedImage.png

 

Sobre a Artista:

 

Helena de Medeiros, portuense formada na London Fashion School e na Escola Superior de Artes e Design, é uma das mais recentes inspirações nacionais além-fronteiras. Atualmente responsável pelos figurinos do La Scala, em Milão, tem oferecido ao costume design uma interpretação muito própria, presente de forma transversal a toda a sua obra,  e centrada no pássaro e na interpretação do seu simbolismo. A paixão pela cenografia faz de si uma das artistas mais elogiadas neste universo, tendo constituído um percurso sólido e invejável junto de algumas das mais prestigiadas companhias de ballet mundiais, passando por países como Portugal, Alemanha, Itália, Canadá, Chile e China. Também criadores de referência se renderam aos traços de liberdade, movimento, expansão e elegância e subtileza do que produz, valendo-lhe colaborações com os mesmos. Falamos de nomes como Gradimir Pankov, Iracity Cardoso, Louis Robitaille ou Mauro Bigonzet. 

 

Não só na moda, e do que de novo traz para este mundo, tem, contudo, Helena de Medeiros focado o seu trabalho. É uma área distinta e caraterizadora da artista, que desperta cada vez mais a curiosidade de um público interessado em novas tendências e movimentos de expressão. No entanto, o seu percurso inicia-se com a pintura, em que dá cartas desde 1990, quando começou a expor individualmente. Hoje, é uma das artistas contemporâneas mais completas, conjuntado os quadros que pinta, e através dos quais consegue estabelecer um diálogo com os figurinos que cria, com poemas da sua autoria. Foi, aliás, neste registo que começou a ser requisitada internacionalmente e que, nos últimos tempos, se consagrou como artista revelação de uma das lojas de arte mais reputadas da cidade que a viu crescer: a P55, no Porto.  

 

O reconhecimento nacional começa agora a sentir-se de forma que espelha não só o orgulho no trabalho de alguém que consegue assinar em português em grandes casas estrangeiras, como causa um impacto real em quem se depara com o seu trabalho. As peças são disputadas em leilões com grande participação, confirmando a qualidade de uma expressão artística que dispensa apresentações e que, no caso dos costume designs, nos fazem sonhar com passadeiras vermelhas alternativas, onde a imaginação assume novos contornos e tudo parece ser possível.

  

Com Helena de Medeiros, conseguimos desvendar um traço único em tudo o que faz, que se reconhece num quadro, na sua escrita ou mesmo no costume que sobe a palco; embora tudo isso aconteça de forma muito natural.


Entre suas recentes atividades, destacam-se as exposições individuais:
«Random Birds» (Centro Cultural Marcos Valcárcel de Ourense, Galiza, 2017);
«Idioma dos Pássaros» (Galeria Árvore, Porto, 2017);
«(In)Color» (Centro Municipal de Cultura de Ponta Delgada, Açores, 2016);
«Insustentável Leveza» (Salão Nobre dos Paços do Concelho e Sala Gótica, Barcelos, 2015);
«Suspended Feature» (Casa-Museu Medeiros & Almeida, Lisboa, 2015);
«Breaking Reality» (Galeria Cálem Porto, Gaia, 2014);
«Cross» (Casa-Museu Bissaya Barreto, Coimbra, 2013);
«Outro Retrato» (Casa-Museu Abel Salazar, Porto, 2013);
«Golden Dust» (Galeria Franchini's, Porto, Portugal).

As pinturas de Helena de Medeiros possuem um importante diálogo com o trabalho de Costume Designer também realizado pela artista, que se tem dedicado sobretudo ao bailado contemporâneo. Em mais de duas décadas de carreira, colaborou com prestigiados diretores artísticos
(como Mauro Bigonzetti, Richard Wherlock, Eric Gauthier, Gradimir Pankov, Iracity Cardoso, Louis Robitaille, Vasco Wellemkamp, Xin Peng Wang, Luc
Petton) e diversas companhias de dança reconhecidas mundialmente, tais como:
Teatro alla Scala (Itália),
Introdans (Holanda),
Ballett Basel (Suíça),
Ballett Dortmund (Alemanha),
Ballet Gulbenkian (Portugal),
Ballett Hannover (Alemanha),
Balé da Cidade de São Paulo (Brasil),
Companhia Nacional de Bailado (Portugal),
Fondazione de la Danza Aterballetto (Itália),
Compagnie Le Guetteur (França),
Gauthier Dance / Dance Company Theaterhaus Stuttgart (Alemanha),
Les Grands Ballets Canadiens de Montréal (Canadá),
Les Ballets Jazz de Montréal (Canadá),
National Ballet of China (China),
Teatro di San Carlo (Itália),
Teatro Municipal Santiago de Chile (Chile).


A sua mostra "I dance because I love" será hoje apresentada na Fábrica do Braço de Prata, pelas 19h00, na Sala Michel Focoult num cocktail de inauguração aberto ao público.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.