Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Ice Cube: Ícone da rap da West Coast assina pela Interscope Records e reedita “Death Certificate”

icecube2.jpg

 

 

Reedição do álbum “Death Certificate” inclui três novos temas, entre eles o single “Good Cop, Bad Cop”, e está disponível em pré-venda

A Interscope Records acaba de anunciar que assinou contrato com Ice Cube, autêntico ícone do rap da West Coast. Conhecido por ser uma das figuras mais importantes da história do rap, Ice Cube começou a sua carreira com o célebre grupo N.W.A., há duas décadas. No pico do sucesso do grupo, Ice Cube decidiu sair da formação e começar uma carreira a solo. Com mais de 10 milhões de álbuns vendidos até à data, Cube junta-se à editora depois de vários anos a lançar música de forma independente através da sua Lench Mob Records, através da qual saiu em 2006 “Laugh Now, Cry Later”, que atingiu a marca de Ouro no mercado norte-americano.

O primeiro projeto desta parceria é uma edição do 25.º aniversário do altamente controverso segundo álbum de Ice Cube. “Death Certificate: 25th Anniversary Edition” será editado a 9 de junho. Esta reedição incluirá três novas canções: “Only One Me”, “Dominate the Weak” e o single “Good cop, Bad Cop”. Lançado originalmente a 29 de outubro de 1991 e produzido por OG Cube, Sir Jinx e Boohiemen (DJ Pooh, Bobcat e Rashad Coes), esse álbum incendiário atingiu o n.º 1 da tabela da Billboard de Álbuns de R&B/Hip Hop e vendeu mais de cinco milhões de cópias em todo o mundo, sendo um retrato tudo da vida no bairro de South Central, em Los Angeles, através dos olhos de um dos maiores e melhores contadores de histórias do rap.

 

icecube_2.jpg

Gravado pouco depois do espancamento de Rodney King em 1991, Cube contextualiza a dureza que caracteriza “Death Certificate”, declarando um “estado de emergência” e dividindo este opus de 20 temas em duas partes. “The Death Side é um espelho de onde estamos hoje, enquanto ‘The Life Side’ representa uma visão para onde precisamos de ir.” O tom revolucionário do álbum é estabelecido logo no tema de abertura "The Wrong Ni*** To F*** Wit".

Na época o álbum esteve envolto em controvérsia, tendo sido alvo de críticas da ativista Angela Davis, do Simon Wiesenthan Center (organização judaica de direitos humanos) e até do estado de Oregon, que tornou o disco ilegal, mas “Death Certificate” acabou por ser considerado uma obra-prima, sendo que Ice Cube foi aclamado pelos seus comentários sociopolíticos incisivos. Vinte e cinco anos depois, Cube afirma que o álbum se mantém relevante. “Infelizmente, a nossa comunidade está a lidar com muitos dos mesmos problemas”, diz. “Só espero que os jovens millenials que se sentem sem forças possam canalizar a sua raiva e frustração ao ouvir este disco.”

Death Certificate: 25th Anniversary Edition” está a partir de hoje disponível em regime de pré-venda. Quem fizer a reserva recebe imediatamente uma das canções inéditas, “Only One Me”.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.