Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Igreja de Ribas acolhe concerto da Orquestra da Costa Atlântica

oca-maio-2024-igreja-ribas.jpg

O quinto concerto do ciclo de música de câmara da Orquestra da Costa Atlântica (OCA) na Rota do Românico está agendado para o próximo sábado, 11 de maio, às 21h30, na Igreja do Salvador de Ribas, em Celorico de Basto. A entrada é livre, sujeita à lotação do espaço.

Na temporada de 2023-24, o ciclo de música de câmara da OCA desenvolve-se sob o mote “Portugal e o Mundo: Encontro de Culturas na Música Erudita”, com a curadoria artística do maestro Luis Miguel Clemente.

Na Igreja de Ribas, o quinteto de sopros da OCA vai interpretar obras de Samuel Barber, August Klughardt e Eurico Carrapatoso, num concerto cujo tema predominante será a expressão emocional, uma das caraterísticas principais do modernismo musical.

O quinteto de sopros da OCA será constituído pelos músicos Maria João Balseiro, na flauta, Pedro Teixeira, no oboé, Mário Apolinário, no clarinete, José Miguel Oliveira, no fagote, e Gonçalo Ferreira, na trompa.

A primeira apresentação do ciclo de música de câmara da OCA na Rota do Românico decorreu, em 28 de janeiro de 2023, no Centro de Interpretação do Românico, em Lousada, a segunda, a 25 de março, na Igreja de São Martinho de Soalhães, Marco de Canaveses, a terceira, a 20 de maio, na Igreja de Santa Maria de Sardoura, Castelo de Paiva, e a quarta, a 20 de janeiro de 2024, na Igreja de Santa Maria de Gondar, em Amarante.

A OCA, fundada em 2015 e com sede em Esposende, agrega instrumentistas de elevado nível técnico e artístico numa formação de singular excelência no panorama musical português. Entre agosto e setembro de 2024, a convite do Ministro da Cultura da China, a OCA irá realizar uma digressão por aquele país asiático, num total de 28 concertos.

A Rota do Românico reúne, atualmente, 58 monumentos e dois centros de interpretação, distribuídos por 12 municípios dos vales do Sousa, Douro e Tâmega (Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende).

As principais áreas de intervenção da Rota do Românico abrangem a investigação científica, a conservação do património, a dinamização cultural, a educação patrimonial e a promoção turística.