Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Inauguração da exposição “Contemporaneidade pelo olhar de quatro artistas plástica!" - 19 de dezembro

Cartaz_redes_sociais_3.png

 

No dia 19 de dezembro, pelas 18 horas, inaugura a exposição de quatro mulheres contemporâneas dedicadas, desde há muito tempo, à pintura e escultura. Embora com percursos profisionais e formações académicas distintas, diariamente percorrem o sonho de se completarem através da arte, percorrendo as telas vazias com a sua imaginação e a pedra com a sua criatividade.

 

 

Catarina Bual

Nasceu em 1992. Reside em Oeiras. Licenciou-se em Escultura e realizou o ERASMUS no último ano, em Bolonha, Itália. Concluiu, em 2016, o Mestrado em Especialização de Escultura também pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Frequentou um curso de Fotografia com os formadores Arlindo Pinto e Jorge Alves. Desenvolve projetos e trabalhos em escultura, fotografia, design gráfico - criação de posters e flyers, etc. Tem participado em diversas exposições coletivas, residências artísticas, simpósios e workshops. Participou na 1ª Residência Artística de Land Art, em Moledo, através da Faculdade de Belas-Artes de Lisboa e, mais recentemente, foi assistente do escultor Abílio Febra num simpósio de escultura em betão em Maceira. Em 2017, tornou-se 1ª Vogal e Art Director do Grupo Jovem no Círculo Artístico e Cultural Artur Bual, onde também ajuda a organizar projetos e desenvolver os trabalhos relacionados com design gráfico.

 

Claúdia Ferro

Nasceu  em Coimbra, Portugal, a 10 de dezembro de 1968.

É Licenciada em Psicologia Clínica, pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, e possui formação profissional e experiência na área da Psicologia Clínica e Forense e das Ciências Sociais, no âmbito do Ministério da Justiça. A sua prática artística como autodidata assume uma perspetiva de busca do Belo através da representação do corpo, enquanto elemento expressivo e repositório de significados, vivências, prazeres, afetos, memórias...

As suas obras atuais são dominadas por figuras femininas de grandes olhos que simultaneamente questionam e observam, que refletem o que está dentro e o que se encontra fora. Com o seu trabalho pretende atingir um grau de poesia visual, recriada pelo observador.

 

Dália Cordeiro

Fez Arte dos Tecidos na Escola António Arroio; Complemento de Formação em Vidragem Cerâmica na Universidade de Aveiro e licenciatura  em Educação Visual e Tecnológica no Instituto Jean Piaget.

Desde 1989 tem feito várias exposições individuais e coletivas em Portugal e no estrangeiro.

 

Lena Poinha

Médica de profissão e Artista de coração é natural de África (Moçambique).  Desde criança, sempre sentiu gosto em mexer com cores e objetos. Autodidata, dedica-se integralmente à pintura desde 2010. Recentemente, os seus trabalhos, são a sua observação artística dum ambiente onde o figurativo humano é o seu foco primordial.  Inúmeras exposições realizadas e atribuição de vários prémios, sendo o último, o 1º Prémio da Art’Oeste Internacional 2019.

 

No dia da inauguração haverá uma performance musical com Margarida Marcelino (canto acompanhado por harpa).