Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

INCM relança coleção histórica com obra vencedora do Prémio INCM/Vasco Graça Moura

historia%20do%20seculo%2020_A.JPG

 

O relançamento da histórica coleção Plural, criada por Vasco Graça Moura na década de 1980, foi anunciado na quinta-feira na cerimónia de apresentação de história do século vinte, de José Gardeazabal, distinguido na primeira edição do Prémio INCM/Vasco Graça Moura e a primeira obra publicada na renovada coleção.

 

José Gardeazabal é natural de Lisboa, estudou e viveu em Luanda, Aveiro, Boston e Los Angeles. Escreve ficção, teatro e poesia, entre outros géneros. Na apresentação do livro José Tolentino Mendonça, presidente do júri do Prémio, afirmou que a obra distinguida «é a revelação de um grande autor, uma voz que traz à literatura portuguesa uma força, um modo de ver e um novo olhar sobre a realidade, e que fez desta obra a escolha evidente». história do século vinte constitui «uma cartografia do próprio tempo, um olhar filosófico» sobre a realidade que colhe o nó da questão do século XX, «é uma antiepopeia, um louvor não lírico, quase cirúrgico, que não deixará nenhum leitor indiferente. É um livro que dá um prémio ao seu autor, José Gardeazabal, mas também à poesia portuguesa do nosso tempo.»

Na sua primeira fase, a coleção Plural acolheu obras de então promissores escritores, hoje confirmados autores. Dirigida atualmente pelo biólogo, poeta e editor Jorge Reis-Sá, a Plural renasce como espaço dedicado à poesia do grande universo da língua portuguesa — espaço de liberdade, de literatura, de pluralidade — homenageando o seu criador Vasco Graça Moura, «o editor memorável», como lhe chamou A. Mega Ferreira.

 

O objetivo da nova Plural é publicar as obras de poesia distinguidas no âmbito do Prémio e outras obras de indubitável qualidade, que não encontraram ainda a justa oportunidade de publicação ou que são de acesso difícil para o público português.

 

história do século vinte vem estrear a nova coleção Plural, iniciada em 1982 por Vasco Graça Moura. Jorge Reis-Sá, diretor editorial da coleção, relembrou que a Plural vai prosseguir com a poesia de Mário Dionísio, José Henrique Santos Barros, Vasco Gato, e ainda de Alexandre Sarrazola, cuja obra Fade Out — distinguida pelo júri do Prémio com uma menção honrosa —  tem o lançamento marcado já para dia 29 de abril, na Biblioteca da Imprensa Nacional. «A INCM quer continuar com coleção Plural. A INCM quer continuar a publicar poesia. Quer continuar a acreditar e a persistir na poesia», rematou Jorge Reis-Sá.