Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

IX Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular reúne investigadores portugueses e espanhóis em Tróia e Setúbal

Ruínas Romanas de Tróia.jpg

 

Nos dias 4, 5 e 6 de Novembro teve lugar, em Tróia e Setúbal, o IX Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular, que reuniu cerca de 120 arqueólogos e investigadores ibéricos.

 

Durante três dias, portugueses e espanhóis apresentaram e discutiram uma variedade de temas da arqueologia do Sudoeste Peninsular desde a Pré-História até à Época Moderna, em sete sessões de comunicações e uma sessão de posters num total de 92 apresentações. Os trabalhos decorreram sob os auspícios de uma Comissão Científica composta por professores e investigadores da Universidade de Lisboa (UNIARQ), da Universidade Nova de Lisboa (IAP-FCSH), da Universidade de Huelva, da Universidade Autónoma de Madrid, do Centro de Estudos de Arqueologia, Artes e Ciências do Património (CEAACP), do Consorcio Ciudad Monumental de Mérida e do Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (MAEDS - AMRS).

 

O Encontro incluiu visitas de estudo às Ruínas Romanas de Tróia, o maior centro de produção de salga de peixe no mundo romano, ao Castro de Chibanes, um sítio fortificado com ocupação pré-histórica, proto-histórica e romano-republicana, e às grutas artificiais do Neolítico Final da Quinta do Anjo.

 

Organizado pelo TROIA RESORT, CEAACP e MAEDS, este evento contou com o apoio das Câmaras Municipais de Grândola, Setúbal e Palmela, e ainda da Atlantic Ferries e do Aqualuz Suite Hotel Apartamentos, em cujo Centro de Eventos tiveram lugar os dois primeiros dias de apresentações. A sessão de dia 6 de Novembro decorreu no Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal e a sessão de encerramento teve lugar na Casa Mãe da Rota dos Vinhos de Palmela.

 

Os Encontros de Arqueologia do Sudoeste Peninsular, que se realizam alternadamente em Espanha e Portugal desde 1993, promovem a apresentação de novas descobertas e o debate sobre múltiplos temas que permitem o avanço do conhecimento científico dos sítios e paisagens arqueológicas do Sudoeste peninsular, uma vasta região particularmente rica em património arqueológico e que convida todos a uma visita.