Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Jardim da Amália

52fbb99e-7790-410a-a76c-19a836497d35.jpg

A magia e emoção do fado estão de volta à casa onde a eterna Amália Rodrigues viveu durante mais de 40 anos. Todas as terças e sextas-feiras, o jardim secreto da sua casa enche-se de música num concerto único de voz, guitarra portuguesa e viola de fado.

7fea86d9-babc-4154-a26b-b2a2bc4b06a7.jpg

Os espetáculos acontecem sempre a partir das 18h00, mas podem ser antecedidos por uma vista guiada à casa (17h00), situada na Rua de São Bento nº 193.

Transformada em museu, dá a conhecer os espaços e objetos (como vestuário, peças de arte e mobiliário) que marcaram a vida e obra da cantora, considerada “a Rainha do Fado”.

Depois da visita à casa, é tempo de conhecer e desfrutar do jardim, um segredo bem guardado no coração de Lisboa, onde têm lugar os concertos, todas as terças e sextas-feiras.

Estes estão a cargo das fadistas Matilde Cid e Ana Sofia Varela, ambas acompanhadas por Guitarra Portuguesa e Viola de Fado.

 

7fea86d9-babc-4154-a26b-b2a2bc4b06a7.jpg

 

A magia e emoção do fado estão de volta à casa onde a eterna Amália Rodrigues viveu durante mais de 40 anos. Todas as terças e sextas-feiras, o jardim secreto da sua casa enche-se de música num concerto único de voz, guitarra portuguesa e viola de fado.

Os espetáculos acontecem sempre a partir das 18h00, mas podem ser antecedidos por uma vista guiada à casa (17h00), situada na Rua de São Bento nº 193.

Transformada em museu, dá a conhecer os espaços e objetos (como vestuário, peças de arte e mobiliário) que marcaram a vida e obra da cantora, considerada “a Rainha do Fado”.

Depois da visita à casa, é tempo de conhecer e desfrutar do jardim, um segredo bem guardado no coração de Lisboa, onde têm lugar os concertos, todas as terças e sextas-feiras.

Estes estão a cargo das fadistas Matilde Cid e Ana Sofia Varela, ambas acompanhadas por Guitarra Portuguesa e Viola de Fado.

Tudo isto num ambiente intimista e recatado que é, ao mesmo tempo, uma homenagem sentida a Amália Rodrigues. Sempre teve como um dos maiores desejos ajudar a promover esta arte tão portuguesa. 


Em Outubro assinala-se 20 anos do seu desparecimento e em 2020 completaria 100 anos. 
 

Cumpra-se o sonho… cante-se o fado!

2cf58f0f-6ea6-40fa-8e26-6f60438903e0.jpg