Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Jerusalém: umbigo da humanidade

André Pardal em Nathan, o sábio

 

Jerusalém: umbigo da humanidade

 

image001.jpg

image002.jpg

 

 

A Companhia de Teatro de Almada estreia no próximo sábado o espectáculo Nathan, o sábio, de Gotthold Ephraim Lessing, com encenação de Rodrigo Francisco. A acção da peça decorre na Jerusalém do século XII, e é um mote para a reflexão sobre as relações – e a origem comum – das três religiões do Livro: judaísmo, cristianismo e islamismo. No mesmo dia a CTA inaugura uma exposição documental no átrio do Teatro Municipal Joaquim Benite intitulada Jerusalém: umbigo da humanidade. Após a sessão da tarde de domingo 10, às 18h30, será gravado ao vivo, na Sala Principal do TMJB, o programa de rádio da Antena 1 E Deus criou o Mundo, no qual três representantes das três religiões monoteístas comentarão Nathan, o sábio. O programa de rádio será aberto à participação do público.

 

 

Nunca levado à cena no nosso País, Nathan, o sábio é um dos clássicos da dramaturgia mundial. Publicada em 1779, esta peça é uma ode à tolerância e um texto fundamental do Século das Luzes. Estamos na Jerusalém do século XII, acabada de conquistar pelo muçulmano Saladino, e onde vivem o judeu Nathan e a sua filha adoptiva, a cristã Recha. A jovem acaba de ser salva de um incêndio por um jovem cruzado, que a pede em casamento. Mas nem o tolerante Nathan – que demonstra ao sultão Saladino, através da célebre parábola dos anéis, que a religião perfeita é aquela que torna os homens melhores – pode aceitar essa união. Na verdade, existem outros laços a unir as duas jovens personagens apaixonadas: laços fraternos, como se as diferentes religiões tivessem, no fundo, a mesma origem.


Filósofo, teólogo e dramaturgo alemão, Gotthold Ephraim Lessing é um dos principais representantes do Século das Luzes na Alemanha. Com uma escrita precisa e clara, encontra-se próximo do cepticismo de Voltaire, sendo um defensor da tolerância. A sua dramaturgia, uma das mais célebres do seu tempo, é composta tanto por comédias como por dramas, e debruça-se principalmente sobre os temas da religião, do lugar das mulheres na sociedade e do patriotismo.


Intérpretes André Gomes, André Pardal, Guilherme Filipe, João Farraia, João Tempera, Leonor Alecrim, Luís Vicente, Maria Rueff e Tânia Guerreiro
Tradução Yvette K. Centeno
Cenografia Pedro Calapez
Figurinos António Lagarto
Luz Guilherme Frazão
Som Miguel Laureano

 

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA PRINCIPAL | M/12

09 a 17 DEZ | QUA a SÁB às 21H e DOM às 16h

 

PREÇO: 6,5€ a 13€   (Clube de Amigos: entrada livre)

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/