Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

João Guimarães Grupo este domingo no Crú - Espaço Cultural - V.N. Famalicão

descarregar (4).png

descarregar (9).jpg

DOMINGO 19 DEZ 18:00

JOÃO GUIMARÃES GRUPO

MÚSICA

No novo álbum de João Guimarães, UM, foi editado em fevereiro de 2020, no Porto, aos músicos que habitualmente fazem o quarteto juntaram-se como convidados: Hermon Mehari no trompete, Travis Reuter na guitarra e Oscar Graça no Piano.

Nessa altura, anunciava-se: João Guimarães Grupo lança agora o álbum - UM e o grupo parte para  tournée a partir de Abril para lançar o novo álbum.  

Fez-se uma apresentação informal em 16 de Fevereiro, no Porto, e a imprensa ia começar a falar do disco, com algumas notas ainda em fevereiro e março, no jazz.pt e no Jornal Público, havendo entrevistas agendadas para o final de março.

A Tour iniciar-se-ia no Hot Club de Portugal e continuaria por Portugal fora.

Ficou tudo suspenso.

Em Agosto de 2020 o grupo, acompanhado por Mário Santos, foi tocar ao “Que jazz é este, em Viseu, e em junho de 2021 ao Festival Dias da Percussão em Portimão.

Para retomar o trabalho, numa nova tour, em 2021 pedimos apoio ao programa do Ministério da Cultura, “Garantir Cultura” e com esse apoio tencionamos, dar a conhecer o resultado de um disco que foi produzido com o apoio da GDA e editado em nome próprio. Apoiar os músicos do grupo e os técnicos, na recuperação de algum rendimento em relação ao tempo investido e, levar a música ao público e aos espaços culturais menos centralizados, cultivando a apetência por este estilo através da música ao vivo.

descarregar (5).png

João Guimarães, líder do grupo, músico compositor e Saxofonista
Já antes de rumar para Nova Iorque para estudar na Manhattan School of Music, depois de concluída a sua formação na ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo) João Guimarães (saxofone) era membro da Orquestra de Jazz de Matosinhos. João é exemplo cimeiro, entre os músicos da sua geração, de um instrumentista simultaneamente detentor de competências técnicas invejáveis, por um lado, e da manutenção da curiosidade e gosto pela experimentação, por outro.

A música de João Guimarães tem à partida um tipo claro de sonoridade com o rock e o funk presentes, que surgem com nuances e diluídos num caldo de jazz. O factor melódico funde com o estilo pós-cool destes quatro músicos. Uma música que chama à dança. O Grupo de João Guimarães é a reunião dos músicos com quem o músico quis trabalhar  a sua música actual. Parte de uma base de composição mas não prescinde do momento e da voz particular e tão única que se encontra nestes músicos.

Este quarteto está presente em Portugal desde 2017, tendo sido apresentado em Coimbra, no Quebra- Costas, em Lisboa no HCP, na Porta – Jazz no Porto e no Museu Bernardino Machado, no Dia Internacional do Jazz 2019, promovido pelo Eixo do Jazz, sendo dos poucos vídeos de músicos portugueses a integrar a playlist do site International Jazz Day.

É membro da Orquestra de Jazz de Matosinhos, do trio Hitchpop e fez parte da banda portuense Insert Coin, do Miguel Ângelo Quarteto, entre outros. Depois do seu primeiro trabalho como líder, Zero, para octeto, lançado pela TOAP e encomendado Festival de Jazz de Guimarães em 2013, lança em 2020 um novo disco, UM,

Eduardo Cardinho, músico Vibrafonista
Leiria, 1993. Iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música do Orfeão de Leiria. Estudou na Escola Profissional de Música de Espinho e mais tarde concluiu com distinção a Licenciatura em Vibrafone Jazz na Escola Superior de Música Artes e Espetáculo do Porto. Em 2013 conquistou o prémio ex-aequo na 27ª edição do “Prémio Jovens Músicos” na categoria de Combo Jazz - nível superior com o projeto “Eduardo Cardinho Quinteto”, recebendo um ótima crítica de Mário Laginha.

Gravou o seu primeiro CD em 2015, “Eduardo Cardinho Quinteto – Black Hole”, aclamado como um dos melhores discos nacionais de 2016.

Em 2018 terminou o mestrado em Vibrafone Jazz no Conservatório de Amesterdão com nota máxima e distinção “cum laude”, apresentou-se como solista convidado da Orquestra de Jazz de Matosinhos e gravou o seu segundo álbum, “In Search of Light”.

É regularmente convidado para lecionar mastercalsses em território nacional e estrangeiro, e leciona na Escola Profissional de Música de Espinho e na Universidade de Aveiro.

Marcos Cavaleiro, músico baterista
De nacionalidade portuguesa, nasceu em Basel, Suíça, e iniciou os seus estudos musicais na cidade da Guarda. Estudou na escola Taller de Musics em Barcelona e, mais tarde, licenciou-se pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto. É membro da Orquestra Jazz de Matosinhos desde 2007. Em 2020 lançou o primeiro disco em nome próprio, “Sete” (Carimbo PortaJazz). Atualmente leciona a disciplina de bateria e fundamentos rítmicos no Curso Superior de Jazz da ESMAE. É endorser das marcas Turkish e Craviotto.

Francisco Brito, músico, contrabaixista
Iniciou os seus estudos no Hot Clube de Portugal no ano de 2004, em  guitarra, com Bruno Santos. Em 2006, muda para o instrumento com que mais se identi fica, o contrabaixo. Entre 2006 e 2008 frequenta o curso de Jazz do Hot Clube onde es tuda com professores como Bernardo Moreira, Nelson Cascais, André Fernandes e João  Moreira, entre outros.  

Em 2008 ingressa na Licenciatura em Jazz da Escola Superior de Música de Lisboa,  onde estuda actualmente com Afonso Pais, Lars Arens, Bernardo Moreira, Pedro Moreira,  Óscar Graça e Gonçalo Marques, entre outros.  

É actualmente professor na Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal.

descarregar (6).png