Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

JOÃO PEDRO MAMEDE dirige Rafael Spregelburd | A ESTUPIDEZ | Artistas Unidos

A ESTUPIDEZ de Rafael Spregelburd (1).jpg

 

JOÃO PEDRO MAMEDE dirige Rafael Spregelburd

 

João Pedro Mamede dirige actualmente os ensaios de A ESTUPIDEZ do argentino Rafael Spregelburd com que os Artistas Unidos abrem a temporada 2017 logo a 11 de Janeiro, no seu Teatro da Politécnica. Inscrita no ciclo “Os sete pecados de Jerónimo Bosch”, A ESTUPIDEZ é uma farsa trágica, um carrossel vertiginoso de situações triviais e ficcionadas, uma paródia aos dias das nossas televisões, um carnaval terrível.

 

RAFAEL SPREGELBURD, de quem os Artistas Unidos já apresentaram A MODÉSTIA (2014), nasceu em 1970 em Buenos Aires em cuja Universidade estudou Dramaturgo, encenador, actor e professor. Inicia os estudos de teatro como actor, mas cedo começa a dedicar-se também à dramaturgia. Criou em 1994 a companhia El Patrón Vasquez onde dirige os seus espectáculos. Começou a encenar em 1995, acima de tudo textos seus e ocasionalmente de autores como Harold Pinter, Wallace Shawn, Sarah Kane ou Martin Crimp. Escreveu peças para o Deutsches Schauspielhaus, Royal Court, Schaubühne, Schaupielfrankfurt, Nationaltheater Mannheim e Badisches Staatstheater. As suas peças são aclamadas na Argentina e foram reconhecidas na Europa, nomeadamente através das encenações feitas por Luca Ronconi para o Piccolo Teatro di Milano. Está traduzido para inglês, alemão, francês, italiano, português, polaco, russo, grego, catalão, holandês, croata, turco e sueco.

 

JOÃO PEDRO MAMEDE nasceu em Almada e ali começou a sua formação, no projecto Cena Múltipla, orientado por Francis Seleck, Pedro D'Orey e Catarina Pé-Curto. É diplomado em Teatro pela ESTC. Estreou-se em Março de 2011 com o monólogo A 20 de Novembro de Lars Nóren, encenação de Francis Seleck. Trabalha com os Artistas Unidos desde 2013, em textos de Jorge Silva Melo, Georg Büchner, Antonio Tarantino, Simon Stephens, Harold Pinter, David Greig e Tennessee Williams. Fundou a companhia Os Possessos, onde cria os espectáculos Rapsódia Batman (2014) e II - A Mentira (2015). Em cinema, participa em Cartas da Guerra de Ivo M. Ferreira e em Ainda não acabámos de Jorge Silva Melo. Recentemente nos Artistas Unidos participou em Os Acontecimentos de David Greig (2015) e Jardim Zoológico de Vidro de Tennessee Williams (2016).