Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

jornadas Europeias do Património

Jornadas Europeias do Património 2015

 

“Queremos dar a conhecer o que fomos, o que somos e o que queremos ser” – Presidente Carlos Humberto de Carvalho

 

 

Ao longo dos dias 25, 26 e 27 de setembro, realizaram-se no Barreiro as Jornadas Europeias do Património 2015, no âmbito do Ano Europeu do Património Industrial e Técnico.

 

Ontem, Dia Mundial do Turismo, 27 de setembro, o programa iniciou com a apresentação do Circuito Industrial, no Espaço Memória, pelo Presidente do Município do Barreiro, Carlos Humberto de Carvalho, Sérgio Saraiva, do Conselho de Administração da Baía do Tejo, e Márcia Calafate, responsável pelo Gabinete Municipal de Desenvolvimento Económico e Estratégico.

 

jornadas_1.jpg

jornadas_4.jpg

 

“Nós estamos a fazer um esforço para revisitar a nossa memória. Queremos dar a conhecer o que fomos, o que somos e o que queremos ser, numa perspetiva voltada para o futuro”, ressalvou o Presidente perante os turistas inscritos no Circuito.

Para além do Circuito Industrial, o Autarca deu conta dos restantes circuitos: Ribeirinho, do Varino “Pestarola”, do Património Ferroviário e da Resistência.

 

A curto prazo estará disponível, segundo Carlos Humberto de Carvalho, um guia interativo na estação fluvial para que os turistas que visitem o Concelho saibam os locais a visitar. “Este faz parte de um conjunto de instrumentos que procuram valorizar o nosso património”, concluiu.    

 

Por seu lado, Sérgio Saraiva congratulou-se com a iniciativa. “Faz todo o sentido existir este tipo de circuitos turísticos, que abrem o Parque Empresarial à cidade”. Este é um dos objetivos da empresa, pela além de pretender atrair mais atividade económica.

Enfatizou o trabalho de parceria realizado entre a Baía do Tejo e o Município do Barreiro. “Pretendemos que este conjunto de Rotas se torne uma das marcas da cidade e queremos que, cada vez mais, as pessoas tenham um maior conhecimento e contacto com a História e que, a partir desta, seja possível projetar os territórios para o futuro”.

 

O circuito iniciou no Espaço Memória e seguiu, de forma pedonal, para o Museu Industrial, Mausoléu Alfredo da Silva, Bairro operário de Santa Bárbara, terminando na Casa Museu Alfredo da Silva. 

Toda a informação que sustenta este e os outros circuitos está contemplada nos audioguias que podem ser requisitados no Posto de Turismo, para além de bicicletas que podem, igualmente, ser requisitadas para o trajeto.

Todos os espaços estão assinalados no local com referências à História.

Mais informação acerca destes e doutros locais no site do Município: http://www.cm-barreiro.pt/pages/851

 

A concretização destes circuitos é fruto da candidatura “Uma Memória e um Futuro para o Barreiro – Reforço e promoção da identidade territorial”, aprovada no âmbito do Programa Operacional Regional de Lisboa do Quadro de Referência Estratégico Nacional – QREN, no valor de mais de 400 mil euros.

Barreiro Memória e Futuro pretende reforçar e promover a identidade do Concelho potenciando, nomeadamente, o seu património ferroviário, industrial e ambiental, valorizando a importância simbólica da memória coletiva.

 

No mesmo dia realizou-se um passeio de fotografia industrial, pelo Clube de Fotógrafos do Barreiro, foi inaugurada a exposição “Um Olhar sobre o Barreiro”, da fotógrafa Anabela Carreira, no Porto de Turismo, e, no final da tarde, realizou-se uma visita ao CICAMM – Centro de Interpretação do Campo Arqueológico da Mata da Machada, na qual participaram 14 pessoas.

 

Um dia pelo Património Ferroviário

 

O sábado, 26 de setembro, foi dedicado ao património ferroviário, com as visitas às Oficinas da EMEF e à Exposição Permanente do Espaço L. No período da tarde, Armando Sousa Teixeira foi o orador de "Conversas sobre Património Industrial e Técnico do Barreiro", no Espaço L. Este dia, promovido pela CMB em parceria com o Movimento Cívico Caminho-de-Ferro, terminou com uma visita ao Espaço Memória.

 

Exposição “Moinhos de Maré do Ocidente Europeu”

Foi inaugurada, no dia 25 de setembro, a Exposição “Moinhos de Maré do Ocidente Europeu”, patente na Biblioteca Municipal do Barreiro, até 10 de outubro. Esta mostra, promovida, no Concelho, pela Associação Barreiro – Património, Memória e Futuro, dá a conhecer os moinhos de maré de Portugal, Espanha, França, Bélgica, Inglaterra e Irlanda. A exposição foi organizada no âmbito de um projeto coordenado pelo Ecomuseu Municipal do Seixal, em colaboração com mais de 20 instituições e investigadores nacionais e internacionais.

Na inauguração da mostra, Manuel Fernandes, da Associação, lembrou que, inserido, também, no programa dos Roteiros do Turismo Industrial do Barreiro, tem lugar, a 10 de outubro, pelas 21h00, na Biblioteca Municipal, o debate “Moinhos de Maré no Estuário do Tejo – Que Futuro?”, “onde refletiremos sobre a importância histórica, económica e social deste importante património moageiro e os contributos que ainda poderão proporcionar para alavancar o desenvolvimento futuro da região e das gentes ribeirinhas”, referiu.

Sobre os moinhos de maré e de vento do Concelho do Barreiro, o Presidente da Câmara Municipal, Carlos Humberto de Carvalho, salientou a intenção da Autarquia em investir, em parte com recurso a fundos comunitários, na recuperação deste património, concentrando a intervenção, numa primeira fase e num futuro mais próximo, na zona desde a Rua do Clube Naval até à Avenida de Sapadores. “A requalificação do património moageiro, integrado na recuperação da zona ribeirinha, pode ter um papel importante no património do Concelho e até no seu desenvolvimento”.

 

 

 

 

 CMB