Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

LAST CALL: Termina esta semana a convocatória do ViViFiCAR para artistas residentes ou naturais do Douro

image004 (4).jpg

 

A Ci.CLO está à procura de quatro artistas residentes ou naturais da região demarcada do Douro para integrar o ViViFiCAR, projeto artístico que pretende usar a criatividade como resposta ao desafio da fixação populacional em Alijó, Lamego, Mêda e Torre de Moncorvo. A convocatória encerra na sexta-feira, dia 19 de novembro.

 

15 de novembro de 2021 – No total são 12 artistas, portugueses e noruegueses, das áreas da fotografia, novos media e arquitetura que vão pensar e desenvolver projetos em contexto de residência nos quatro municípios da Região Demarcada do Douro[1], em diálogo com as respetivas comunidades. Promovido pela plataforma Ci.CLO, o ViViFiCAR inicia com uma convocatória para a atribuição de quatro bolsas destinadas a artistas naturais ou residentes neste território. As candidaturas podem ser submetidas até dia 19 de novembro no site do projeto.

 

Além de um fee de 3.000€, a bolsa contempla a participação numa residência artística a decorrer num dos quatro municípios parceiros durante seis semanas, alimentação, mentoria durante o processo de criação, produção de uma exposição, entre outros (ver detalhes no regulamento). Os artistas selecionados terão ainda a oportunidade de partilhar a experiência com um colega nacional e um norueguês, estimulando, assim, a criação de diálogos sobre cada um dos territórios. Os trabalhos resultantes das residências artísticas serão depois apresentados nos respetivos munícipios e numa exposição coletiva no Museu do Douro e no Surnadal Billag, na Noruega.

 

ViViFiCAR é organizado e produzido pela Plataforma Ci.CLO, financiado pela EEA Grants e operado pela Direção-Geral do Património Cultural com a Direção-Geral das Artes como parceiro do programa, cofinanciado pela Fundação Museu do Douro, Câmara Municipal de Alijó, Câmara Municipal de Lamego, Câmara Municipal de Mêda e Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, com o apoio mecenático do BPI e da Fundação “la Caixa“, e em parceria o Surnadal Billag A/S (Noruega), a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Culture Action Europe e a Fundação Ásia-Europa. 

  

De referir que o projeto se enquadra no Concurso «Connecting Dots – Mobilidade Artística e Desenvolvimento de Públicos», do Programa Cultura, no âmbito dos EEA Grants, mecanismo financeiro, criado com o objetivo de reforçar as relações bilaterais entre os Estados-Membros da União Europeia Europa e a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega, membros do Espaço Económico Europeu (EEE). 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.