Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Les Siestes Électroniques anuncia o cartaz para o regresso a Portugal

image001.jpg

 

 

Depois de anunciado o regresso do festival a Portugal para o final de Agosto são agora conhecidos os artistas que passarão pelo palco no jardim da Casa das Artes em Coimbra. O elenco é marcadamente internacional, prometendo repetir a aventura da primeira edição com a aposta em músicos que transcendem géneros e convenções mais imediatas.

AZF, Damien Dubrovnik, D.K., Front de Cadeaux, Gonzo, Joshua Abrams & Natural Information Society, Live Low, Vessel

 

O Les Siestes Électroniques decorre entre 30 de agosto e 1 de Setembro na Casa das Artes Bissaya Barreto com Entrada Livre.

 

 

Sobre os Artistas

 

Damien Dubrovnik

O duo dinamarquês de Christian Stadsgaard e Loke Rahbek está na origem da editora Posh Isolation, sediada em Copenhaga e focada na edição de artistas escandinavos. Os concertos da dupla são únicos e irrepetíveis e não deixam saudades de um concerto clássico. A música deles pode sentir-se como se explodisse alguma coisa a menos de 30 metros.

 

 

D.K.

Produtor residente em Paris, D.K. edita pelas prestigiadas Melody As Truth, Music From Memory’s Second Circle e Antinote, onde editou este ano o EP Riding For A Fall.

As modas retro já não impressionam ninguém e D.K. traz-nos de volta o verdadeiro espírito do house, uma multidão futurista, hedonista, sorridente e sobretudo gente que dança. Música para dar de beber à alma daqueles que querem ser felizes.

 

 

 

Gonzo

O português a viver entre Tenerife e Londres onde fundou a peculiar Discrepant Records.

As suas colagens são uma paisagem com recolhas de sons gravados pelo mundo, música tradicional e de produção própria. De alguma forma tudo isto soa mais natural do que a música deveria ser, como se o som fosse alguém com quem nos cruzamos na rua e olhamos de alto abaixo para depois notar que faz o mesmo.

 

 

Live Low

O quarteto de Ece Canli, Gonçalo Duarte (Equations), Miguel Ramos (Torto, Naco) e Pedro Augusto (Ghuna X) está sediado no Porto onde edita com a conterrânea  Lovers & Lollypops.

Live Low está a criar música popular contemporânea como a música popular devia ter sido sempre. Música com coração e cheia de ideias, onde ouvimos a herança eletro-acústica, muito avant-rock e as recolhas arquivadas por Giacometti e Lopes Graça, como ingredientes para música que perdurará.

 

 

AZF

A histórica DJ francesa é também curadora do festival Qui Embrouille Qui.

Se a sua música fosse um momento era um sábado à noite. Quando as pernas já não obedecem e dançam, dançam tanto que só caindo podemos parar. Catarse e exaustão porque às vezes é disso mesmo que precisamos.

 

 

Joshua Abrams & Natural Information Society

Vindo da cena jazz de Chicago, Joshua Abrams apresenta-se desde 2010 acompanhado por um imprevisível conjunto de músicos, os Natural Information Society.

A América, de onde vem a música de Joshua e dos seus pares vai ser sempre o cenário das nossas aventuras. Pode não ser a terra prometida mas a poesia e os poetas terão sempre ali o seu legado de protesto e amor e é disso que parece ser feita a música deles.

 

Vessel

Conhecemos Seb Gainsborough em 2012 com o EP Order Of Noise já editado pela nova-iorquina Tri Angle de onde mais recentemente publicou o disco Queen Of Golden Dogs.

O tipo é um génio. Álbum após álbum, ele rebenta as expectativas enquanto abraça novas formas de criação para fazer coisas únicas.  A sua música é tão líquida quando sólida, e pode tomar mais formas que o T-1000 enquanto inventa novos significados para a palavra coerência.

 

 

Front de Cadeaux

Ugo e Maurizio estão há 10 anos a aperfeiçoar a forma mais lenta de agitar uma pista de dança tocando discos de 45RPM a 33RPM.

Imaginem que dançam ininterruptamente num grande relvado durante três longas tardes de verão. Front de Cadeaux seriam um beijo suado com que se despedem no fim. Tão lânguido e intenso como um amor de verão. Alguém devia ler um cartaz onde se lesse: vamos amar uma última vez antes que o planeta colapse.