Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

LETÍCIA RAMOS VENCE BES Photo 2014

 

 

Letícia Ramos é a vencedora da 10.ª edição do prémio BES Photo, uma iniciativa do Banco Espírito Santo (BES) em parceria com o Museu Coleção Berardo, à qual se juntou o Instituto Tomie Ohtake, que apresentará a exposição em São Paulo, a partir de 23 de outubro.

O BES Photo, o principal prémio de arte contemporânea em Portugal de estatuto internacional, dá a conhecer trabalhos inéditos dos mais consagrados artistas da lusofonia num evento ímpar que atribui ao vencedor o prémio no valor pecuniário de 40.000 euros.

 

O júri de premiação, com nacionalidade distinta das representadas pelos artistas selecionados, é constituído por Elvira Dyangani Ose, curadora de arte internacional (patrocinada pelo Guaranty Trust Bank Plc) da Tate Modern de Londres; Luis Weinstein, fotógrafo e organizador do Festival Internacional de Fotografia de Valparaíso; e María Inés Rodríguez, diretora do CAPC, Musée d’Art Contemporain de Bordeaux.

 

«Decidido por unanimidade, a atribuição do prémio BES Photo 2014 vai para Letícia Ramos, pela série Nós sempre teremos marte, projeto revelador de uma trajetória consistente, centrado na investigação, e cujo processo de trabalho reflete uma coerência da linguagem fotográfica. É de destacar a perceção pelo incerto deste processo, que permite evocar outros imaginários possíveis. A sua obra transmite um compromisso constante do meio com as diversas possibilidades ficcionais e poéticas.»

Apesar da difícil decisão, o Júri realça «a extrema qualidade do trabalho desenvolvido por cada um dos outros participantes, Délio Jasse e José Pedro Cortes, e destaca a diversidade das propostas apresentadas.»

 

Sobre Letícia Ramos (Santo Antônio da Patrulha, 1976)

Vive e trabalha em São Paulo. Cursou arquitetura e urbanismo na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e cinema na Fundação Armando Álvares Penteado. O seu foco de investigação artística é a criação de aparatos fotográficos próprios para a captação e reconstrução do movimento e a sua apresentação em vídeo, instalação e fotografia. O seus trabalhos possuem um forte caráter processual e geralmente inserem-se no âmbito de projetos de investigação mais ampla. Em séries como ERBF, Escafandro, Bitácora e Vostok, desenvolve complexos romances geográficos que se desdobram e se formalizam em diferentes media. A artista recebeu prémios e bolsas importantes para a sua pesquisa e realização artísticas, entre eles, o Prémio Funarte Marc Ferrez de Fotografia (2010), para o desenvolvimento do projeto Bitácora (2011-2012), com a publicação do livro de artista Cuaderno de Bitácora e a participação na residência expedicionária «The Arctic Circle» (2011). O trabalho fotográfico realizado durante a expedição foi distinguido com o Prémio Brasil Fotografia – Pesquisas Contemporâneas (2012). Em 2103, participou no programa «Encontros na Ilha» da 9.º Bienal do Mercosul. Neste mesmo ano, em residência no espaço PIVÔ (São Paulo), desenvolveu o projeto Vostok, constituído por um filme de 35 mm, um livro, um website e um disco LP.

Atualmente, está a desenvolver Microfilme, um projeto contemplado com a Bolsa de Fotografia 2013, do Instituto Moreira Salles e da Revista Zum.

www.leticiaramos.com

 

O Banco Espírito Santo, o Museu Coleção Berardo e o Instituto Tomie Ohtake juntam-se assim com o intuito de promover a criatividade e integração dos artistas plásticos contemporâneos de língua portuguesa no panorama internacional. No ano em que se celebra o décimo aniversário do prémio BES Photo, cumprem-se também quatro edições que marcam a sua internacionalização, por via do alargamento do âmbito de seleção dos artistas, que passou a ser de nacionalidade portuguesa, brasileira ou dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa; como pela itinerância da exposição que, após ser apresentada no Museu Coleção Berardo, será inaugurada em São Paulo, no Instituto Tomie Ohtake, a 23 de outubro de 2014, onde poderá ser visitada até 11 de janeiro de 2015.

 

No Museu Coleção Berardo, a exposição que reúne trabalhos inéditos de Délio Jasse (Angola), José Pedro Cortes (Portugal) e Letícia Ramos (Brasil) fica patente ao público até 7 de setembro de 2014.

 

 

SOBRE O BES PHOTO

O BES Photo, uma iniciativa do Banco Espírito Santo em parceria com o Museu Coleção Berardo, lançou-se em 2004, sob um formato original que se manteve ao longo de seis edições com a missão de premiar artistas portugueses ou residentes em Portugal, que tivessem apresentado trabalhos no âmbito fotográfico, num determinado período.

A 7.ª edição do BES Photo (2011) foi marcada pela internacionalização do prémio, um posicionamento resultante da evolução e notoriedade que o prémio alcançou no contexto nacional da fotografia no campo das artes visuais.

 

Esta iniciativa desenvolve-se com a realização de uma exposição conjunta de artistas previamente selecionados pelo Júri de Seleção e culmina com a atribuição do Prémio BES Photo ao artista vencedor, escolhido pelo Júri de Premiação. Helena Almeida foi a vencedora da 1.ª edição, em 2004, José Luís Neto venceu em 2005, Daniel Blaufuks em 2006, Miguel Soares em 2007, Edgar Martins em 2008, Filipa César em 2009, Manuela Marques em 2011, Mauro Pinto em 2012, e Pedro Motta em 2013.

 

Ao promover iniciativas que contribuem para a mais ampla divulgação da excelência da arte suportada por fotografia, o BES pretende ser um agente ativo no desenvolvimento e promoção da arte contemporânea em Portugal e com representatividade internacional. Esta iniciativa vem reforçar o compromisso assumido pelo Banco em promover a cultura, um compromisso antigo no Grupo BES mas que pretende ser permanentemente renovado, estimulado e alinhado com o posicionamento da marca: moderna, em evolução, abrangente e com projeção junto dos diferentes segmentos da sociedade.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.