Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Livro infantil sobre problema do excesso de azoto lançado a 5 de dezembro no Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva

40c7820d-3c72-4660-b207-03d831201c4d.jpg

 

O livro infantil “A história do azoto, bom em pequenino e mau em grande”, da autoria de Vanda Brotas, professora do Departamento de Biologia Vegetal da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (Ciências ULisboa) e investigadora do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), com ilustrações de Rui Sousa, é apresentado ao público no próximo dia 5 de dezembro, pelas 18h00, no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva, em Lisboa. 

O convite para a criação desta obra surgiu no âmbito do projeto europeu “NitroPortugal - Strengthening Portuguese research and innovation capacities in the field of excess reactive nitrogen, que ao longo dos últimos três anos estudou o impacto real do azoto em Portugal, propondo soluções que permitem diminuir a poluição causada pelo seu excesso no ambiente.
 
O livro infantil “A história do azoto, bom em pequenino e mau em grande” conta a aventura de um grupo de amigos na busca pela causa pela qual o lago onde se realiza o piquenique anual da turma se encontra poluído, e a sua luta por uma solução para reestabelecer a beleza ao lago da cidade.
 
“Os mais novos são a geração do futuro. É importante chegarmos a eles para criar um maior conhecimento sobre esta área e sobre os problemas associados ao ambiente e ao ser humano. Através deste livro, procuramos consciencializar este público mais jovem e ao mesmo tempo colmatar a falta de conhecimento que existe sobre o problema do excesso de azoto, algo que é abordado de forma bastante ligeira no plano curricular”, explica Vanda Brotas.
 
O lançamento do livro, em parceria com a Ciência Viva, contará com a presença da autora e de personalidades das áreas da Agricultura, Ambiente e Educação e inclui também uma prova de vinhos e azeites biológicos, bem como um beberete com baixa pegada de azoto, com o objetivo de sensibilizar para um consumo mais sustentável e amigo do ambiente. A entrada é livre mediante inscrição prévia.
 
O projeto europeu NitroPortugal é coordenado pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa. A equipa inclui investigadores do polo de Ciências ULisboa doCentro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais - cE3c, do Centro de Ecologia e Hidrologia de Edimburgo, do Reino Unido e da Universidade de Aarhus, da Dinamarca.