Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

“Livros Abertos” com Itamar Vieira Junior: Apresentação de “Torto Arado”, Prémio LeYa 2018, em Loulé

Capa.jpg

 

 

O autor brasileiro Itamar Vieira Junior vai estar esta quinta-feira, 6 de junho, pelas 18h00, na Biblioteca Municipal Sophia de Mello Breyner Andresen, em Loulé, para a apresentação pública de “Torto Arado”, Prémio LeYa 2018.

A apresentação da obra estará a cargo de Mirian Nogueira Tavares, docente da Universidade do Algarve.

Um livro comovente que traz a herança dos clássicos. Bibiana e Belonísia são filhas de trabalhadores de uma fazenda no Sertão da Bahia, descendentes de escravos para quem a abolição nunca passou de uma data marcada no calendário. Intrigadas com uma mala misteriosa sob a cama da avó, pagam o atrevimento de lhe pôr a mão com um acidente que mudará para sempre as suas vidas, tornando-as tão dependentes que uma será até a voz da outra. Porém, com o avançar dos anos, a proximidade vai desfazer-se com a perspetiva que cada uma tem sobre o que as rodeia: enquanto Belonísia parece satisfeita com o trabalho na fazenda e os encantos do pai, Zeca Chapéu Grande, entre velas, incensos e ladainhas, Bibiana percebe desde cedo a injustiça da servidão que há três décadas é imposta à família e decide lutar pelo direito à terra e a emancipação dos trabalhadores. Para isso, porém, é obrigada a partir, separando-se da irmã.

Numa trama tecida de segredos antigos que têm quase sempre mulheres por protagonistas, e à sombra de desigualdades que se estendem até hoje no Brasil, “Torto Arado” é um romance polifónico belo e comovente que conta uma história de vida e morte, combate e redenção, de personagens que atravessaram o tempo sem nunca conseguirem sair do anonimato.

 

Itamar Vieira Junior nasceu em Salvador, Bahia, Brasil. É geógrafo e doutor em Estudos Étnicos e Africanos, com pesquisa sobre a formação de comunidades quilombolas no interior do Nordeste brasileiro. Publicou a coletânea de contos “A Oração do Carrasco” (2017), finalista do prestigiado Prêmio Jabuti de Literatura. Tem contos traduzidos e publicados em revistas especializadas em França e nos EUA. O seu último trabalho é o presente romance, “Torto Arado”, galardoado com o Prémio LeYa em 2018.

Mirian Nogueira Tavares é professora associada da Universidade do Algarve, Portugal. Com formação académica nas Ciências da Comunicação, na Semiótica e nos Estudos Culturais (doutorou-se em Comunicação e Culturas Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia), tem desenvolvido o seu trabalho de investigação e de produção teórica nas áreas das estéticas fílmica e artística. Como professora da Universidade do Algarve, participou na elaboração do projeto de licenciatura em Artes Visuais, do mestrado e doutoramento em Comunicação, Cultura e Artes e do doutoramento em Média-Arte Digital. Atualmente é coordenadora do CIAC (Centro de Investigação em Artes e Comunicação) e vice-coordenadora do doutoramento em Média-Arte Digital.

Tem realizado trabalhos de curadoria desde 2005. São exemplos “O Século XX passou por aqui” (no âmbito de Faro — Capital Nacional da Cultura, 2005), “Dialogue Boxes on Street Windows” (cocuradoria com o artista Xana, no âmbito do projeto “Allgarve”, 2009), “Politically Excited” (2012) e “Arte: Um Assunto de Mulheres” (Galeria Trem, Faro, 2015).

Como cocuradora das exposições da Galeria Trem, desde 2009, tem produzido todos os textos de folha de sala e colaborado com textos para catálogos de artistas como Pedro Cabrita Reis, Pedro Cabral Santo ou Manuel João Vieira. De forma intermitente, colabora com a ARTECAPITAL.NET.  

A obra estará para venda durante a sessão (pela Livraria Papelnet)

A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.