Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

MAAT | Três novas exposições & Open Weekend

TADASHI KAWAMATA
Over Flow

 

Over Flow, a exposição individual de Tadashi Kawamata na Galeria Oval do MAAT, foca questões em torno do turismo e da ecologia globais. Uma instalação imersiva convida o visitante a experienciar uma paisagem marítima na sequência de uma catástrofe ecológica imaginária em que os detritos transportados pelos oceanos engoliram a civilização. Kawamata, mundialmente conhecido pelos seus ambientes arquitetónicos sustentáveis de grande escala, desenvolveu o projeto ao longo de um ano de pesquisa e trabalho de campo em Portugal, culminando num workshop com artistas e arquitetos orientado pelo coletivo arquitetónico Os Espacialistas.  A instalação encomendada pelo MAAT integra resíduos de plástico e barcos abandonados, recolhidos na costa portuguesa durante campanhas de limpeza de praias que contaram com o importante contributo de voluntários da Brigada do Mar, de associações da Câmara Municipal de Almada e do Porto da Nazaré. Estes elementos compõem uma forma escultórica que sugere os elementos poluentes agregados pelos movimentos perpétuos dos oceanos, bem como os efeitos do turismo global e o seu consumo dramático de recursos naturais. Com restos de flutuadores, bóias, redes e armadinhas de pesca, garrafas, bidões, peças de barcos e de automóveis, o artista recria o efeito de uma onda do mar suspensa sobre os visitantes do museu. A experiência imersiva evoca não só os distúrbios ecológicos provocados pela poluição dos oceanos, mas também a longa tradição das ilustrações marítimas japonesas, cruzando referências artísticas e poéticas muito diversas, nomeadamente entre Portugal e o Japão.

O artista interessa-se sobretudo pelos detritos e não se assume como ambientalista ou como porta-voz de causas ecológicas. Relaciona-se com o lixo e com a sua possível reutilização e integração na obra de arte. A escala e monumentalidade com que o artista trabalha já há vários anos, conferem um impacto inesperado à sua obra. Nas últimas três décadas, o artista japonês Tadashi Kawamata tem criado instalações site-specific focando-se nos conceitos opostos de construção e destruição, muitas vezes usando material reciclado para transformar as galerias que ocupa e obrigando o visitante a reinterpretar o espaço.

 

Visita guiada à exposição com o artista Tadashi Kawamata >>
Visita guiada à exposição com a curadora Marta Jecu >>


Datas: 5 de outubro a 1 de abril
Curadoria: Pedro Gadanho & Marta Jecu

 

 

André Príncipe
Elefante

 

Com curadoria de Ana Anacleto e João Pinharanda, o fotógrafo português André Príncipe apresenta um conjunto de 11 fotografias e um vídeo nos quais o artista explora o tema da morte e o modo como a sociedade ocidental tende a negar a sua confrontação. O título da exposição surge da expressão “elefante na sala”, algo que não queremos nomear, que nos incomoda, inquieta, amedronta, com o qual não sabemos lidar, mas que está sempre presente. Trabalhando a partir do seu arquivo fotográfico — amplamente recheado de registos feitos em lugares, geografias e momentos muito distintos, muitos deles provenientes das suas viagens — André Príncipe seleciona e edita as imagens estabelecendo ligações e relações dialéticas que apontam para a procura de um sentido que raramente é narrativo. Há uma nítida aproximação à linguagem cinematográfica na sua obra, que provém da sua formação em Cinema, bem como de outras práticas artísticas como a Pintura, enquanto modelo de representação. Esta é a primeira exposição individual que André Príncipe realiza em contexto institucional na cidade de Lisboa.

 

Conversa com o artista André Príncipe e os curadores Ana Anacleto e João Pinharanda >>

Visita temática: Elefante na Sala >>


Datas: 5 de outubro a 31 de dezembro
Curadoria: Ana Anacleto & João Pinharanda

 

Artists’ Film International

Artists’ Film International é uma parceria iniciada pela Whitechapel Gallery, em Londres, que envolve várias instituições internacionais na seleção de um conjunto de filmes realizados por artistas de todo o mundo, em torno de um mesmo conceito. Estes trabalhos são posteriormente exibidos em cada instituição em diferentes formatos e espaços expositivos, ganhando assim novas e distintas leituras. Verdade é o tema desta edição. Com curadoria de Maria do Mar Fazenda, os artistas Vladimir Kikolic, John Skoog, Juan Sorrentino, Danielle Dean, Musa paradisiaca, Rosa Barba, Tom Ireland e Patrick Hough  - que foram selecionados sob a influência do tema desta edição -  apresentam, na emblemática Sala das Caldeiras, um conjunto de vídeos que vão viajar pelas 18 instituições parceiras. O conceito curatorial partiu de uma citação de Santo Agostinho: «O homem caminha na imagem da verdade», deslocando, assim, o tema da Verdade para a própria imagem e para o meio do filme.

 

Visita temática: «Se daqui a mil anos…» >>


Datas: 5 de outubro a 22 de abril
Curadoria: Maria do Mar Fazenda

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.